Repositório Digital

A- A A+

Isolamento, identificação e caracterização de Shigella spp. envolvidas em surtos alimentares no Rio Grande do Sul

.

Isolamento, identificação e caracterização de Shigella spp. envolvidas em surtos alimentares no Rio Grande do Sul

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Isolamento, identificação e caracterização de Shigella spp. envolvidas em surtos alimentares no Rio Grande do Sul
Outro título Isolation, identification, and characterization of Shigella spp. associated with foodborne outbreaks occurred in Rio Grande do Sul State, Brazil
Autor Paula, Cheila Minéia D. de
Orientador Tondo, Eduardo Cesar
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências e Tecnologia de Alimentos. Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos.
Assunto Disenteria bacilar
Doenças transmitidas por alimentos
Surtos alimentares
[en] Antibiotics
[en] PCR-Ribotyping
[en] Shigella
[en] Shigelose
Resumo No Brasil existem poucos relatos sobre casos de Shigelose, um fator que contribui com o pouco conhecimento a respeito dessa doença. Além disso, a falta de obrigatoriedade por parte da legislação vigente em relação à pesquisa de Shigella tem contribuído com este fato. O presente trabalho teve por objetivo isolar, identificar e caracterizar isolados de Shigella envolvidas em surtos alimentares ocorridos no Rio Grande do Sul, além de comparar tais isolados de alimentos com amostras isoladas de fezes de pacientes com diarréia envolvidos nesses surtos. Após a identificação, os isolados foram submetidos à caracterização por suscetibilidade a antimicrobianos e PCR-Ribotipificação. Entre agosto de 2007 e agosto de 2008, foram isoladas três linhagens de Shigella (2 S. flexneri e 1 S. sonnei) a partir de placas de meio de cultura utilizadas pela FEPPS/LACEN/RS para pesquisa de Salmonella em alimentos suspeitos. Uma vez que a análise foi considerada negativa para a presença Salmonella, o resultado nas estatísticas epidemiológicas do RS possivelmente foi expresso como "agente do surto não identificado". Das 149 linhagens de Shigella isoladas pelo mesmo órgão, entre 2003 e 2007, 71,14 % foram identificados como S. flexneri, 21,48% como S. sonnei, 0,67% como S. dysenteriae e 6,71% foram classificados apenas como Shigella sp. Os resultados também demonstraram um aumento no percentual de isolados de S. sonnei, que em 2003 era nulo e em 2007 foi de 43,48 %, ao mesmo tempo o percentual de isolados de S. flexneri passou de 100% em 2003 para 47,83% em 2007. Em relação ao teste de resistência a antimicrobianos os isolados provenientes de fezes (n=149) demonstraram altas percentagens de resistência, sendo que as maiores foram observadas contra estreptomicina (88,59%), ampicilina (84,56%) e sulfametoxazol-trimetoprim (80,53%). Os maiores percentuais de sensibilidade foram para ciprofloxacina (96,64%), ácido nalidíxico (89,26%) e gentamicina (83,22 %). A resistência múltipla foi verificada em 90,19% dos isolados. Dos 73 perfis de resistência encontrados, 82,23 % apresentaram resistência a pelo menos três antimicrobianos. Seis perfis agruparam mais de quatro isolados (A, B, C, D, E e F). O mais resistente dos isolados de alimentos apresentou resistência à gentamicina e resistência intermediária à tetraciclina e ao cloranfenicol. Quando os isolados de Shigella foram submetidos à PCR-Ribotipificação, somente três perfis (SH1, SH2 e SH3) foram identificados. O perfil SH1 agrupou 76,31% dos isolados (todos S. flexneri) e o perfil SH2 agrupou 23% dos isolados (todos S. sonnei). De acordo com os resultados, várias linhagens de Shigella apresentaram o mesmo padrão de bandas na PCR-Ribotipificação e também o mesmo perfil de resistência, sugerindo tratar-se da mesma linhagem de Shigella; Os resultados obtidos no presente estudo indicam a necessidade do monitoramento contínuo da resistência da Shigella e também que a PCRRibotipificação pode ser útil na investigação de surtos de Shigeloses alimentares.
Abstract In Brazil, there are few reports about foodborne Shigellosis and the Brazilian regulation do no requires compulsory investigation for Shigella in foods, contributing to the lack of knowledge about this disease. The objective of the present study was to isolate, identify and characterize isolates of Shigella involved in outbreaks occurred in Rio Grande do Sul (RS), Southern Brazil, and compare the strains isolated from foods with those isolated from fecal stools of foodborne shigellosis victims. Food isolates were sampled between August 2007 and August 2008 from plates of selective medium used for Salmonella detection in suspect foods analysed by official Laboratory of RS (FEPPS/LACEN/RS), while fecal isolates were isolated from victim stools analysed between 2003 and 2007 by the same Laboratory. Bacterial samples were identified by FEPPS/LACEN/RS and submitted to antimicrobial susceptibility testing and PCR-Ribotyping. Results indicated that three Shigella (1 S. sonnei and 2 S. flexneri) were isolated from foods and 149 were isolated from fecal stools (71.14 % S. flexneri, 21.48 % S. sonnei, 0.67 % S. dysenteriae, and 6.71 % Shigella sp.). Results also showed an increase on the isolation percentage of S. sonnei from fecal samples, which was zero in 2003 increasing to 43.48 % in 2007. At the same period, the percentage of isolation of S. flexneri decreased from 100 % in 2003 to 47.83 % in 2007. Fecal stool isolates demonstrated high percentages of resistance, mainly for streptomycin (88.59 %), ampicillin (84.56 %) and sulfamethoxazole-trimethoprim (80.53 %). The highest percentage of sensitivity was observed for ciprofloxacin (96.64 %), nalidixic acid (89.26%) and gentamicin (83.22 %). Multiple resistance was observed in 137 isolates (90.19 %). Experiments revealed that 73 resistance patterns were found, and 82.23 % of the isolates showed resistance to at least three drugs. Six patterns grouped more than four isolates (A, B, C, D, E, and F). The most resistant isolates from foods showed only resistance to gentamicin and intermediate resistance to tetracycline and to chloramphenicol. PCR-Ribotyping identified three banding patterns (SH1, SH2, and SH3). The profile SH1 grouped 76.31 % of the isolates (all S. Flexneri) and profile SH2 grouped 23 % of isolates (all S. sonnei). According to the results, various Shigella isolates showed the same PCR-Ribotyping banding patterns and also the same resistance profile, suggesting it is the same strain of Shigella. The results indicate the need for continuous monitoring of resistance of Shigella and that the PCR-Ribotyping could be useful in the investigation of foodborne Shigellosis.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/16411
Arquivos Descrição Formato
000698867.pdf (370.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.