Repositório Digital

A- A A+

Avaliação do uso de trombolíticos, antibióticos e analgésicos em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica em hospital público de Porto Alegre / Brasil

.

Avaliação do uso de trombolíticos, antibióticos e analgésicos em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica em hospital público de Porto Alegre / Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação do uso de trombolíticos, antibióticos e analgésicos em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica em hospital público de Porto Alegre / Brasil
Autor Fischer, Maria Isabel
Orientador Heineck, Isabela
Co-orientador Stein, Airton Tetelbom
Data 2014
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Farmácia. Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas.
Assunto Analgesia
Antibioticoprofilaxia
Cefazolina
Cirurgia bariátrica
Complicações pós-operatórias
Dor pós-operatória
Fibrinolíticos
Obesidade
Uso de medicamentos
[en] Analgesia
[en] Antibiotic prophylaxis
[en] Bariatric surgery
[en] Obesity
[en] Thromboprophylaxis
Resumo Objetivo: Avaliar o uso de trombolíticos, antibióticos e analgésicos e a ocorrência de complicações pós-cirúrgicas em pacientes obesos submetidos à cirurgia bariátrica (CB) no Hospital Nossa Senhora da Conceição/RS. Método: Foi conduzida uma coorte prospectiva, não controlada no período de junho de 2011 a outubro de 2013. Foram realizadas entrevistas com os pacientes durante o período de internação, 15 e 30 dias após a cirurgia. Para avaliação da profilaxia antibiótica os desfechos foram infecção de ferida operatória (IFO) e óbito. Eventos tromboembólicos foram os desfechos estudados para investigação da tromboprofilaxia, sendo também analisados custos associados. Os dados relativos ao paciente, à cirurgia e aos fármacos utilizados foram coletados a partir do prontuário do paciente. A dor foi avaliada nos três primeiros dias pós-cirurgia por dois instrumentos independentes. Resultados: Um total de 149 pacientes fez parte do estudo da profilaxia antibiótica, sendo predominantemente mulheres (89,3%). A idade média foi de 41,6 anos e o índice de massa corporal médio foi de 51,7 kg/m2. Comorbidades como diabetes e hipertensão foram observadas em 40,3% e 59,7% dos pacientes, respectivamente. Todos os pacientes receberam profilaxia antimicrobiana (cefazolina 73,8%, cefoxitina 25,5% e gentamicina 0,67%). IFO foi constatada em 9 (6,04%), 4/110 (3,64%) e 5/38 (13,2%) dos pacientes recebendo cefazolina e cefoxitina, respectivamente (RR=3.62 - 95% IC 1,02-12,8, p=0,049). A vigilância pós-alta detectou 4/9 (44,4%) dos casos de IFO. O estudo da tromboprofilaxia contou com 134 pacientes. Enoxaparina 40 ou 60 mg foi administrada em todos os pacientes, sete tiveram doses flutuantes e seis receberam heparina sódica em adição. Um paciente (0,75%) apresentou evento tromboembólico. O custo total da tromboprofilaxia foi de US$ 3,346.89. No estudo que avaliou a medicação para dor pós-operatória, foi observado que morfina + dipirona foi o esquema analgésico mais freqüente nos dois primeiros dias (69.9% e 61,4% dos pacientes, respectivamente), sendo dipirona isolada mais frequente no terceiro dia. Quando a escala analógica visual foi empregada para avaliação da dor 54,8% e 41,4% dos pacientes apresentaram dor moderada ou intensa nos dois primeiros dias, respectivamente. De acordo com esta escala não foram encontradas diferenças nas doses médias de morfina e dipirona para as categorias de dor leve, moderada ou intensa. Contudo, usando-se o questionário como instrumento para avaliação da dor, foram observadas doses mais altas de morfina em pacientes com escores de dor mais elevados (p<0,01). Conclusões: A escolha do antimicrobiano isoladamente não garante a profilaxia, uma vez que outras variáveis podem influenciar. Os dados demonstram falta de uniformidade na profilaxia antimicrobiana e sugerem a superioridade da cefazolina sobre a cefoxitina na prevenção da infecção de ferida operatória. Em relação aos tromboliticos utilizados na profilaxia foi observado que as diretrizes do hospital estudado não são seguidas. Os custos desta profilaxia variam com o medicamento empregado e indicam a necessidade de uma reavaliação nas diretrizes da instituição. Para analgesia, não observamos diferenças nas doses médias de morfina e dipirona. Uma proporção elevada de pacientes apresentou dor moderada ou intensa nos primeiros dois dias após a cirurgia, sugerindo inadequação da analgesia. O estudo contribui para desenvolvimento de protocolos para profilaxia de IFO e de eventos tromboembólicos, assim como para melhor manejo da dor pós-operatória em pacientes submetidos à CB.
Abstract Aim: To study the use of antimicrobials, thrombolytic agents and analgesics and the occurrence of post-surgical complications in patients submitted to bariatric surgery (BS). Method: A prospective, non-controlated cohort was carried on in the period June 2011-October 2013. Patients’ records and interviews during hospitalization and 15 and 30 days after surgery were used as source of data. Outcomes for antibiotic prophylaxis were surgical site infection (SSI) and death. Thromboembolic events were the outcomes studied in the investigation of thromboprophylaxis. Costs associated to thrombolytic agents were also considered. Pain was evaluated in the first three days after surgery by two independent instruments. Results: A total of 149 patients were included in the suty of antibiotic prophylaxis, predominantly women (89.3%). Average age was 41.6± 8.88 years and body mass index was 51.7 kg/m2. Diabetes was identified in 40.3% of the patients and hypertension in 59.7%. All patients received antibiotic prophylaxis (cefazolin 73.8%, cefoxitin 25.5%, and gentamicin 0.67%).The timing of antibiotic administration, redose, and use during 24 hours after surgery were not uniform.SSI was confirmed in 9(6.04%) patients, 4/110 (3.64%) and 5/38 (13.2%) receiving cefazolin and cefoxitin, respectively, (RR=3.62 - 95% CI 1.02-12.8, p=0.049). Four patients had SSI detected after hospital discharge. Among 134 individuals analyzed in the study about thromboprophylaxis, enoxaparin 40mg or 60mg was administered to all patients, seven patients had dose fluctuations between 40 and 80 mg and six patients also received heparin sodium, the drug recommended by hospital guideline for prophylaxis. One patient (0.75%) developed deep vein thrombosis. The total cost of prophylaxis was US$ 3,346.89. In the evaluation of post surgery pain, we observed that morphine + dipirone was the most frequent analgesic scheme employed in the first two days (69.9% and 61.4%, respectively), while dipirone was predominant in the third day. When the visual analogical scale was used, 54.8% and 41.4% of patients presented moderate or intense pain in the first and second day after surgery, respectively. Also, using this instrument differences were not observed in the average doses for both analgesics for patients presenting light, moderate or severe pain. Having the questionnaire as reference, we observed higher average doses of morphine in patients with higher scores (p<0.01) in the first day. Conclusions: Antibiotic prophylaxis in BS remains controversial and antibiotic choice does not guarantee the prophylaxis; there is also influence of other variables. Our data has shown lack of uniformity on this regard and suggests that cefazolin presented better results over cefoxitin to prevent SSI. Thrombolytic agents were used not accordingly to the hospital guideline, with one related outcome detected. The cost of prophylaxis might, depending on the drug product of heparin used indicating the importance of defining the medication in the guideline of the institution. We did not observe differences in the average dosages for both analgesics. A considerable proportion of patients presented moderate to intense pain during the first two days after surgery, suggesting that the analgesia was inadequate. This study contributes in developing analgesia protocol and points out the importance of pain assessment in these patients. This study contributes to a better use and standardization of antibiotic prophylaxis, thromboprophylaxis, and pain management in patients submitted to BS.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/164117
Arquivos Descrição Formato
000945003.pdf (1.831Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.