Repositório Digital

A- A A+

Repercussao da presenca de doenca organica e da suspeita de transtorno mental em adolescentes de 13 a 20 anos medida atraves de escalas de sintomatologia depressiva, de risco de suicidio e de expectativa de futuro

.

Repercussao da presenca de doenca organica e da suspeita de transtorno mental em adolescentes de 13 a 20 anos medida atraves de escalas de sintomatologia depressiva, de risco de suicidio e de expectativa de futuro

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Repercussao da presenca de doenca organica e da suspeita de transtorno mental em adolescentes de 13 a 20 anos medida atraves de escalas de sintomatologia depressiva, de risco de suicidio e de expectativa de futuro
Autor Feijo, Ricardo Becker
Orientador Chaves, Marcia Lorena Fagundes
Data 1994
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Pós-Graduação em Clínica Médica.
Assunto Depressão
Diagnostico diferencial
Doença
Escalas de graduação psiquiátrica
Suicídio
Transtornos mentais
Transtornos psicossomáticos
Resumo Com o objetivo de avaliar a repercussão da doença orgânica de baixa morbimortalidade e da suspeita de transtornos mentais medida através de uma escala de triagem, foi delineado um estudo transversal agregado ao Fator em Estudo, onde 187 adolescentes entre 13 e 20 anos foram avaliados quanto ao nível de depressão, expectativa de futuro, ideação e comportamento suicida. Os jovens foram divididos em grupos conforme a presença de doença orgânica e de acordo com a positividade da triagem para transtorno mental. Foram controladas variáveis sócio-demográficas como idade, sexo, instrução, défict cognitivo, Depressão Maior, classe social, tabagismo, turno escolar e turno de atendimento médico, assim como a presença de suspeita ou diagnóstico de doenças neuro-psiquiátricas e doenças orgânicas graves. A presença da doença orgânica esteve associada a maiores níveis de depressão, transtorno mental, menor expectativa de futuro, sem diferenças quanto à ideação e comportamento suicida. A positividade na escala de rastreamento para transtorno mental foi de 8% em jovens da comunidade e 28% em adolescentes com doença orgânica. Quando divididos pelo ponto de corte da escala de triagem, houve associação do grupo positivo com maiores níveis de depressão, menor expectativa de futuro, maior ideação suicida, havendo maior comportamento suicida apenas nos jovens sem diagnósticos clínicos. O sexo feminino apresentou maior nível de depressão e maiores escores de transtorno mental nas escolas da comunidade. Não houve relação entre nível sócioeconômico e nível de instrução com as variáveis estudadas. Este estudo conclui que a doença orgânica de baixa morbi-mortalidade exerce influência nos jovens avaliados, caracterizando-se por maior nível de depressão, transtorno mental e menor expectativa de futuro. Os adolescentes da comunidade com triagem positiva para transtorno mental através de uma escala de rastreamento demonstram maior sintomatologia depressiva, menor motivação para o futuro e maior ideação e comportamento suicida. Finalmente, enfatiza a importância de considerar a seriedade das queixas dos adolescentes doentes clinicamente, e da necessidade da investigação de alterações psiquiátricas nos jovens através de instrumentos elaborados e direcionados às características peculiares desta etapa da vida.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/164144
Arquivos Descrição Formato
000061674.pdf (17.63Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.