Repositório Digital

A- A A+

Avaliação do consumo de álcool e drogas em pacientes com Doença Falciforme (DF) em tratamento no Centro de Referência de Doença Falciforme do Hospital de Clínicas de Porto Alegre

.

Avaliação do consumo de álcool e drogas em pacientes com Doença Falciforme (DF) em tratamento no Centro de Referência de Doença Falciforme do Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação do consumo de álcool e drogas em pacientes com Doença Falciforme (DF) em tratamento no Centro de Referência de Doença Falciforme do Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Autor Santos, Mariana Martins Siqueira
Orientador Picon, Paulo Dornelles
Co-orientador Silla, Lucia Mariano da Rocha
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Anemia falciforme
Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Transtornos relacionados ao uso de substâncias
[en] Alcohol
[en] ASSIST
[en] Drug addiction
[en] Drugs
[en] Opioids
[en] Referral center
[en] Sickle cell disease
[en] Tobacco
Resumo O consumo de drogas e álcool constitui cada vez mais um problema social e de saúde pública, pelas consequências negativas que provocam no desenvolvimento emocional e físico dos indivíduos. Existem poucas referências na literatura avaliando o uso destas substâncias por portadores de doença falciforme (DF). Estes pacientes apresentam crises álgicas severas, recorrentes, frequentemente controladas por opióides. O comprometimento da qualidade de vida predispõe a ocorrência de transtornos psiquiátricos não-psicóticos, como depressão por exemplo, tornando o grupo vulnerável ao uso abusivo de substâncias. Objetivos: avaliar o consumo de álcool e drogas em pacientes portadores de DF acompanhados pelo Centro de Referência de Doença Falciforme (CRAF) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), estimar o percentual de pacientes em tratamento da doença falciforme que fazem uso abusivo de álcool e drogas, e colaborar com o estudo que avaliará a efetividade de um centro de referência multidisciplinar para esta população. Métodos: estudo transversal, de uma amostra de conveniência, com 139 pacientes portadores de DF acompanhados no CRAF do HCPA. Resultados: a prevalência do uso abusivo foi de 1,5% para o álcool e 3,0% para o tabaco, e não se identificou o uso abusivo de outras substâncias, inclusive opióides. O padrão para o uso de substâncias não foi influenciado pela exposição ou por transtornos psiquiátricos não-psicóticos. Conclusão: São necessários mais estudos para reforçar estes achados, mas demonstra-se a segurança do uso de analgésicos opióides para o manejo das crises dolorosas apresentadas pelos portadores de DF.
Abstract Drug abuse is increasingly becoming a social and public health problem, because of the negative consequences that such abuse causes on the emotional and physical development of individuals. There are few references in the literature evaluating the use of these substances by individuals with sickle cell disease (SCD). These patients have severe and recurrent pain crises, frequently needing opioids drugs to control it. The compromised quality of life can predispose this population to the occurrence of non-psychotic psychiatric disorders such as depression, making them vulnerable to substance abuse. Objectives: To evaluate the level of consumption of alcohol and drugs in patients with SCD followed by Sickle Cell Disease Reference Center (CRAF) at Hospital de Clínicas de Porto Alegre; to estimate the percentage of patients in treatment of SCD who abuse alcohol and drugs, and to collaborate with the study evaluating the effectiveness of the CRAF. Methods: cross-sectional study of a convenience sample of 139 patients with SCD treated at CRAF. Results: the prevalence of abusive use of the studied population was 1.5% for alcohol and 3.0% for tobacco, and no abusive use of any other substance, including opioids, was identified. It was verified that the pattern for substance use was not influenced by exposure to substances or the presence of non-psychotic psychiatric disorders. Conclusion: More studies are needed to reinforce these findings, but they suggested that the use of opioid analgesics for the management of SCD painful crises is safe and do not induces substance abuse.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/164321
Arquivos Descrição Formato
001025789.pdf (6.993Mb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.