Repositório Digital

A- A A+

Associação entre tentativa de suicídio e história de vivências traumáticas em pacientes atendidos no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre – RS

.

Associação entre tentativa de suicídio e história de vivências traumáticas em pacientes atendidos no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre – RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Associação entre tentativa de suicídio e história de vivências traumáticas em pacientes atendidos no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre – RS
Autor Zatti, Cleonice
Orientador Freitas, Lucia Helena Machado
Data 2017
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Ciências do Comportamento.
Assunto Apoio social
Fatores de risco
Tentativa de suicídio
Transtornos mentais
Trauma psicológico
[en] Childhood trauma
[en] Mental disorders
[en] Risk factors
[en] Social support
[en] Suicide attempt
Resumo Se a criança é negligenciada ou passou por experiências traumáticas durante o processo de desenvolvimento, isso pode desencadear, além de sofrimento psíquico intenso nesta fase, predisposição para uma série de transtornos mentais e prejuízo ao funcionamento na vida adulta, inclusive levando a tentativa de suicídio. Objetivos: A presente pesquisa teve como objetivo identificar a ocorrência de traumas infantis em adultos sobreviventes de suicídio atendidos no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre no Rio Grande do Sul, além da ocorrência de perda de figura significativa na infância, presença de doença psiquiátrica atual, intensidade de sintomas depressivos, perda de pessoa significativa recente e apoio social em comparação a controles. Métodos: Tratou-se de um estudo de caso-controle (28 casos; 56 controles). O estudo foi realizado de 20 de agosto de 2015 a 21 de março de 2016, utilizando os seguintes instrumentos: Childhood Trauma Questionnaire (CTQ), Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI), Beck Depression Inventory (BDI), e Medical Outcomes Study (MOS). Justificativa: A escolha do tema justificou-se pelo expressivo número de sujeitos que ingressam no referido hospital por tentativa de suicídio (TS), constituindo uma população em que o entendimento de fatores de risco pode auxiliar na identificação de diferentes fatores envolvidos neste fenômeno e na elaboração de estratégias de intervenção e prevenção. Resultados: A amostra examinada (n=84; 28 casos e 56 controles) demonstrou uma distribuição semelhante em relação ao gênero (M/F = 46,4%/53,6%) com uma idade média de 35,6 anos (DP=12,8). Através do instrumento CTQ foram avaliados os traumas na infância. Os grupos (caso x controle) apresentaram médias distintas nas variáveis abuso emocional (p<0,001), abuso físico (p<0,001), negligência emocional (p<0,001) e negligência física (p<0,001). Nos casos de tentativas de suicídio foi realizada uma análise através do BDI e MINI, onde 94,4% (n=17) tinham risco elevado de reincidência de uma nova tentativa e apresentavam Transtorno Depressivo Grave em comparação aos controles onde nenhum paciente apresentou risco de suicídio elevado e Transtorno Depressivo Grave (p <0,001) . Segundo a MOS, a contagem de um parente e/ou amigo a mais protege o risco de suicídio em 24%. Quando somados, a dimensão afetiva com a interação social, um ponto a mais protege em 70% (p<0,001). Ao relacionarmos a dimensão emocional com a dimensão informação, ficou em 63% (p<0,001). Conclusões: Os resultados do estudo apontaram uma importante associação entre traumas na infância e tentativa de suicídio na vida adulta, apontando por exemplo a importância da adoção de ações preventivas e terapêuticas relacionadas a maus-tratos durante o desenvolvimento infantil como fator importante na redução de risco para o suicídio. A rede de apoio possui importância no suporte social na vida de qualquer pessoa. Nesta pesquisa, os pacientes do grupo controle apresentaram mais suporte social, com maior probabilidade de serem mais ativos e interativos com o meio em que vivem.
Abstract If a child is neglected or experiences traumatic events during development, this can unleash—beyond the intense psychological suffering at the time—a predisposition for a number of mental disorders, up to and including suicide attempt, and impair functioning as an adult. Objectives: The present study sought to identify the incidence of childhood trauma as well as the loss of a loved one during childhood, the presence of current psychiatric illness, intensity of depression symptoms, recent loss of a loved one, and social support in comparison to controls in adult suicide attempt survivors treated at Hospital de Pronto Socorro in Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil. Methods: The study is considered a case-control study (28 cases, 56 controls). It took place from August 20th, 2015 to March 21st, 2016 and utilized the following instruments: Childhood Trauma Questionnaire (CTQ), Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI), Beck Depression Inventory (BDI), and Medical Outcomes Study (MOS). Justification: The choice of topic was justified by the considerable number of subjects admitted to the hospital for suicide attempt (SA). The subjects constituted a population for which the understanding of risk factors could help in the identification of the various elements involved in this phenomenon and in the elaboration of intervention and prevention strategies. Results: The examined sample (n = 84; 28 cases and 56 controls) had an approximately equal gender distribution (M/F = 46.4%/53.6%) and a mean age of 35.6 years (SD = 12.8). Childhood trauma was evaluated via the CTQ instrument. The groups (case and control) presented distinct means in variables of emotional abuse (p < .001), physical abuse (p < .001), emotional neglect (p < .001), and physical neglect (p < .001). The suicide attempt cases were analyzed using the BDI and MINI, which indicated 94.4% (n = 17) had elevated risk of relapsing into another suicide attempt and presented Major Depressive Disorder relative to the controls, where no patient had an elevated risk of suicide attempt or Major Depressive Disorder (p < .001). According to MOS, having a close relative and/or friend offered the greatest protection against suicide risk in 25% of cases. When added, the affective and social interaction dimensions the protection is 70% (p < .001). By linking the dimension emotional with the informational, 63% is achieved (p < .001). Conclusions: The results of the study point to a strong relationship between childhood trauma and suicide attempt in adulthood, indicating, for example, the importance of the adoption of preventative and therapeutic actions related to mistreatment in childhood as a key factor in the reduction of suicide risk. The support network plays a critical role in the social well-being of any person. In this study, control group patients presented greater social support and were likelier to be more active and interactive in their communities.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/164332
Arquivos Descrição Formato
001026352.pdf (321.9Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.