Repositório Digital

A- A A+

Tratamento medicamentoso do infarto agudo do miocárdio no Hospital de Clínicas de Porto Alegre

.

Tratamento medicamentoso do infarto agudo do miocárdio no Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Tratamento medicamentoso do infarto agudo do miocárdio no Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Outro título Drug therapy for acute myocardial infarction at Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Autor Berger, Solano Vinicius
Fricke, Daniele
Picon, Pedro Dornelles
Resumo OBJETIVO: Determinar a taxa de prescrição de trombolíticos, aspirina, betabloqueadores e inibidores da enzima conversora da angiotensina na fase aguda do infarto e, no caso dos três últimos fármacos citados, na profilaxia secundária do infarto agudo do miocárdio. MATERIAIS E MÉTODOS: As taxas de prescrição foram determinadas mediante revisão de prontuários de todos os pacientes que estiveram internados com o diagnóstico de infarto agudo do miocárdio no Hospital de Clínicas de Porto Alegre entre janeiro de 1996 e fevereiro de 1997. RESULTADOS: Foram identificados 100 pacientes, com uma idade média de 63 ± 13 anos, 58% homens e 89% brancos. As taxas de prescrição dos fármacos na fase aguda foram: 41% para trombolíticos, 97% para aspirina, 81% para betabloqueadores e 38% para inibidores da enzima conversora. As taxas de prescrição na profilaxia secundária foram: 71% para aspirina, 68% para beta-bloqueadores e 45% para inibidores da enzima conversora. CONCLUSÃO: As taxas de prescrição dos fármacos acima citados ainda encontramse abaixo dos valores ideais, apesar de serem comparáveis às taxas relatadas na literatura.
Abstract OBJECTIVE: To determine the prescription rates of thrombolytics, aspirin, betaadrenergic antagonists and angiotensin-converting-enzyme inhibitors during the acute phase of the infarction, and to determine the prescription rates of aspirin, betaadrenergic antagonists, and angiotensin-converting-enzyme inhibitors for secondary prophylaxis. MATERIALS AND METHODS: The prescription rates were determined by reviewing the medical records of all patients whose diagnosis of acute myocardial infarction was made at Hospital de Clínicas de Porto Alegre from January 1996 to February 1997. RESULTS: We identified 100 patients, with a mean age of 63 ± 13 years, 58% men and 89% white. The drug prescription rates in the acute phase were: 41% for thrombolytics, 97% for aspirin, 81% for beta-adrenergic antagonists and 38% for angiotensin-converting-enzyme inhibitors. The secondary prophylaxis prescription rates were: 71% for aspirin, 68% for beta-adrenergic antagonists and 45% for angiotensin-converting-enzyme inhibitors. CONCLUSION: The prescripition rates forthe drugs listed above are still bellow the ideal ranges, although they are comparable to the rates reported in the medical literature.
Contido em Revista HCPA. Porto Alegre. Vol. 18, n. 2, (1998), p. 188-196
Assunto Doença da artéria coronariana
Infarto do miocárdio
Tratamento farmacológico
[en] Acute myocardial infarction
[en] Coronary artery disease
[en] Treatment
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/164960
Arquivos Descrição Formato
001026265.pdf (40.73Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.