Repositório Digital

A- A A+

Representações da violência do pós-64 na ficção literária de Ivan Ângelo : a escrita engajada

.

Representações da violência do pós-64 na ficção literária de Ivan Ângelo : a escrita engajada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Representações da violência do pós-64 na ficção literária de Ivan Ângelo : a escrita engajada
Autor Azevedo, Francesca Batista de
Orientador Santos, José Vicente Tavares dos
Data 2015
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.
Assunto Ângelo, Ivan, 1936-
Brasil
Ditadura civil-militar
Golpe militar : 1964
Literatura brasileira
Sociologia da literatura
Violência na literatura
[en] Post-64
[en] Representations of violence
[en] Sociology of literature
[en] The celebration
[en] The tower of glass
Resumo Através das representações da violência presentes nas obras ficcionais escritas por Ivan Ângelo A Festa (1976) e A casa de vidro (1979), durante a Ditadura do Pós-64, é possível relacionar o discurso literário às dimensões sociais. Pelo crivo da história e conceitos originários da Crítica Literária e da Literatura Comparada aplicados ao campo da Sociologia da Literatura, é possível compreender com sensibilidade e rigor alguns episódios e elementos da vida social brasileira, tais como: o papel do escritor em tempos de repressão à liberdade de expressão. Esse exercício reflexivo, arriscado e recente na sociologia materializa tanto os estudos literários quanto os sociológicos, de modo que o imaginário adquire status de objeto social, o que introduz, na análise sociológica dos textos (verbais e imagéticos) e suas circunstâncias de produção, a afirmação de uma das características mais sociais e humanas: a narratividade. A escrita criativa é uma fonte de acesso a posicionamentos tanto estéticos quanto políticos, e através dessas interfaces mesclam-se a memória, o esquecimento e a construção da ideia do passado. Por isso, a prática da leitura sob essa via ressignifica o sentido do presente e avança um passo a mais em direção à literatura como um fato social inegável e como ato ao mesmo tempo individual e coletivo que persiste através dos tempos e da cultura nacional.
Abstract It is possible to establish relations with literary discourse and social dimensions by means of the representations of violence existent in the fictional works The celebration (1976) and The tower of glass (1979) written by Ivan Ângelo during the Post-64 dictatorship. It is conceivable to comprehend sensibly and rigorously some episodes and elements of Brazilian social life, such as the role of the writer in times of freedom of expression repression by sifting through history and concepts from Literary Criticism and Comparative Literature applied to the field of Sociology of Literature. This risky and recent in sociology reflexive exercise enriches the study of literature and sociology in a way that fictional thought receives status of social object which introduces the statement of one of the most social and human features, the storytelling, in the sociological analysis of verbal and imagery texts and their production circumstances. Creative writing is a source of entry to both aesthetic and political positioning and, through these interfaces, memory, oblivion and the construction of the past are all mixed. Therefore, the practice of reading under this comprehension reframes the meaning of the present and advances another step towards literature as an undeniable and social fact and also as a fact that is at the same time individual and collective and that persists through time and through national culture.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/165469
Arquivos Descrição Formato
001023923.pdf (2.533Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.