Repositório Digital

A- A A+

A tríade enunciativa : um estudo sobre a não-pessoa na teoria de Émile Benveniste

.

A tríade enunciativa : um estudo sobre a não-pessoa na teoria de Émile Benveniste

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A tríade enunciativa : um estudo sobre a não-pessoa na teoria de Émile Benveniste
Autor Bressan, Nilvia Thaís Weigert
Orientador Flores, Valdir do Nascimento
Data 2003
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Benveniste, Emile, 1902-1976
Teoria da enunciação
[en] Discourse/Language
[en] Enunciation
[en] Non-person
[en] Reference
[en] Sense
[en] System/Language
Resumo O objetivo da presente pesquisa é discutir o status de não-pessoa na Teoria da Enunciação de Émile Benveniste. A terceira pessoa do singular, ele, é assim chamada porque, na visão estruturalista da enunciação, a não-pessoa, ele, se opõe às pessoas, eu e tu. Essa tríade enunciativa, eu, tu, ele, é o sustentáculo de todas as relações que se estabelecem no território pessoal e não-pessoal, na língua/discurso e na língua/sistema, na subjetividade e na objetividade da enunciação. Essa distinção entre pessoas e não-pessoa é transversal a toda a teoria, que tem como suporte teórico a ciência do signo de Ferdinand de Saussure, que entende a língua como um sistema, e a ciência das significações de Michel Bréal, que considera a língua em uso. Esse estudo, portanto, em um primeiro momento, reúne as reflexões de: a) Benveniste, que concebe a enunciação como um ato individual de fala que tem sua referência na instância de discurso, isto é, no aqui-agora do locutor; b) Bréal, que entende a subjetividade como parte constitutiva da língua e acredita que só a língua em uso deve ser objeto de verificação; c) Saussure, para quem a língua é um sistema de signos cujas relações são opositivas e internas ao sistema, sem qualquer referência ao que lhe é externo. O segundo passo foi a pesquisa da terceira pessoa pronominal e verbal nos dicionários e gramáticas em busca da não-pessoa. Como a questão da referência é um divisor de águas em toda a teoria, ela foi discutida em um terceiro momento quando o estatuto enunciativo da nãopessoa foi abordado. Ao final deste trabalho foi apresentado um estudo feito por Benveniste sobre a frase nominal, que é um exemplo da possibilidade de se analisar a não-pessoa, já que a frase nominal é um caso típico da mesma. Como esta dissertação optou por um estudo intrateórico da obra de Benveniste, escrita entre os anos de 1939 e 1970, o corpus é composto por artigos que se encontram nos livros Problemas de Lingüística Geral I e Problemas de Lingüística Geral II.
Abstract This research discusses the status o f non-person in the Enunciation Theory of Émile Benveniste. The third person singular is named non-person based on the structural notion that opposes the persons, I and you, and non-persons, he,she, it. The enunciation triad, I, you, he, controls all the relations between persons and non-person, subjectivity and objectivity, systernllanguage and discourse/language in this theory, that must be understanding upon two language concepts: the systernllanguage and the discourse/language. The first is sustained by the Sign Science of Ferdinand de Saussure; it concerns the objective part ofthe language. The other receives influence from the Signi:fication Science of Michel Bréal; it concerns the subjective part of the language. Consequently the first part of this study joins the retlection of: a) Benveniste, who conceives the enunciation as an individual act that has its reference in the here-now of the speaker; b) Bréal, who understands that subjectivity is constituent of language; c) Saussure, who understands that the language is a relation system of opposite signs, without reference to the world, because all linguistic facts are system internal phenomena. In the second part this research investigates the third person singular in dictionaries and grammars in order to understand the non-person. In the third part this work deals with the status of the non-person in enunciation and the reference. Reference is a significant point in this theory; it serves as the line of demarcation between subjective reference and objective reference. At last, this work presents a study of a typical case of nonperson, the nominal sentence, as an illustrative example to show how Benveniste understands the analysis of non-person. Because this is an intratheoretic study in the writings of Benveniste from 1939 until 1970, its corpus is constituted from the articles that are in the books Problèmes de linguistique générale I and Problèmes de linguistique générale II.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/165673
Arquivos Descrição Formato
000400479.pdf (1.901Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.