Repositório Digital

A- A A+

Autopoiese e Dodiscência : relações necessárias para a cidadania na escola?

.

Autopoiese e Dodiscência : relações necessárias para a cidadania na escola?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Autopoiese e Dodiscência : relações necessárias para a cidadania na escola?
Autor Saldanha, Maria Helena Moutinho
Orientador Machado, Carmen Lúcia Bezerra
Data 2017
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Autopoiese
Educação de jovens e adultos
Ensino-aprendizagem
Resumo A presente pesquisa é um Estudo de Caso realizado a partir de uma experiência de estágio, em docência compartilhada, numa escola pública municipal de ensino fundamental, na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Teve por objetivo compreender a ausência de Grêmio estudantil durante 27 anos de sua existência, e os motivos que deram causa à sua organização, após este período. Busquei identificar no contexto escolar o protagonismo estudantil, os espaços de liberdade e de autonomia de aprendizagem cidadã; relacionei a proposta político/pedagógica com o contexto de regras de convivência, e refleti sobre as implicações do conceito de autopoiese para a educação na situação de democracia participativa, coexistindo com sanções disciplinares; e da dodiscência para as relações comportamentais na escola. A metodologia para o estudo incluiu pesquisa documental no Projeto Político Pedagógico, Regimento Interno, no Estatuto do Grêmio e na Sistematização de avaliação geral de semestre, onde me ocupei em analisar as categorias de autonomia, liberdade, diálogo e regras de convivência; e de campo com a realização de entrevistas semiestruturadas (grupo focal), com integrantes do Grêmio que se constituiu, e individual, com a docente orientadora do processo. Na busca de generalização do Estudo de Caso me detive nos conceitos de autopoiese, dodiscência, regras de convivência e Projeto Político Pedagógico por tratar-se de escola voltada para a educação popular e permanente ao longo da vida, com princípios de: educação para todos, construção plena da cidadania, transformação da realidade pela relação dialógica, autonomia moral e intelectual, fundamentados nas concepções de FREIRE. Para defender a incompatibilidade de seus princípios com regras de convivência analisei obra de DURKHEIM que me auxiliou na organização de ideias para a análise das entrevistas, e a de MATURANA e VARELA, para a compreensão do fenômeno da autopoiese. A dicotomia entre modelo e realidade, entre a heteronomia e a negação dos fatos, é o que chamei de compensação reflexiva: harmonia/controle ou violência/autoritarismo, e serve para justificar o modelo escolar. A atuação dos estudantes por representações, imitação das autoridades administrativas, ao conhecer a prática dodiscente poderá analisar politicamente as questões de fato e compreender o espaço democrático. A montagem do Grêmio se constituiu numa tarefa, criou um acontecimento e gerou um fato no espaço escolar – sua manutenção. O controle produziu a heteronomia e o autoritarismo. A dodiscência liberta pela autoridade no fazer e no conhecer, compartilhadas entre docente e discente.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/165953
Arquivos Descrição Formato
001046289.pdf (1.581Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.