Repositório Digital

A- A A+

A permanência do idoso na EJA : direito à educação ao longo da vida

.

A permanência do idoso na EJA : direito à educação ao longo da vida

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A permanência do idoso na EJA : direito à educação ao longo da vida
Autor Knop, Tânia Cunha
Orientador Comerlato, Denise Maria
Data 2017
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Direito à educação
Educação de jovens e adultos
Idoso
Resumo O presente Trabalho de Conclusão de Curso tem por objetivo pesquisar os fatores que contribuem para a permanência do idoso em sala de aula. Estes questionamentos surgiram a partir do estágio docente obrigatório do sétimo semestre, que se realizou em docência compartilhada em uma turma da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O estágio aconteceu em 2016/2, em uma escola da rede municipal em Porto Alegre/ RS. No dia a dia, pude perceber, através de diálogos com os estudantes, o quanto eles se sentiam familiarizados com a escola e os colegas, e que este espaço parecia ter muita importância para eles. A rotina do ir e vir para escola, mesmo enfrentando dificuldades, não era obstáculo. Nesse momento surgiu a curiosidade em saber que fatores contribuíam para a permanência do idoso na escola, tendo em vista que alguns já estão nela há muitos anos, sem previsão de concluir os estudos. Para tanto, realizei uma pesquisa de caráter qualitativo fazendo uso de entrevistas semiestruturadas com dois sujeitos. Fundamentada em Freire (1981), Arroyo (2001) e Dayrell (1999), entre outros, analiso a importância da escola para o sujeito idoso. Também analiso, a partir da legislação vigente, que a educação de jovens e adultos tem várias funções, entre elas, a educação permanente. Deste modo, tenho por considerações finais que a educação é um direito que deve ser garantido em qualquer fase da vida; de que a pessoa idosa deseja e tem necessidade de aprender; que a EJA cumpre um papel social, de inserção dos sujeitos na sociedade, por meio do acesso aos bens culturais e aos conhecimentos legados pela humanidade; e, por fim, que a EJA é um lugar em que seus sujeitos podem ser reconhecidos como pessoas e cidadãos, como “alguém” com o desejo de sempre “ser mais”, como já disse Freire (1981), nesse permanente processo de humanização.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/166075
Arquivos Descrição Formato
001046628.pdf (1.108Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.