Repositório Digital

A- A A+

A doutrina da Vantagem Militar Qualitativa (VMQ) e as relações entre Israel e os Estados Unidos

.

A doutrina da Vantagem Militar Qualitativa (VMQ) e as relações entre Israel e os Estados Unidos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A doutrina da Vantagem Militar Qualitativa (VMQ) e as relações entre Israel e os Estados Unidos
Autor Friedman, Marcela Fischer
Orientador Martins, José Miguel Quedi
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Relações Internacionais.
Assunto Aliança estratégica
Estados Unidos
Israel
[en] Doctrine of Qualitative Military Edge (QME)
[en] Foreign aid delivery
[en] Israel
[en] Strategic alliance
[en] United States
Resumo O presente trabalho propõe-se a examinar as relações entre os EUA e Israel em três períodos distintos: de 1969 a 1991, de 1991 a 2015 e de 2015 aos dias atuais. O objetivo central da monografia é, a partir da análise dos três períodos, explicar o que é a doutrina da Vantagem Militar Qualitativa (VMQ) e demonstrar que houve um gradual contingenciamento da mesma no segundo e terceiro períodos da análise. Procura-se, também, responder como o contingenciamento da VMQ afetou as relações entre Israel e EUA e como isso pode afetar a geopolítica do Oriente Médio. A primeira hipótese de trabalho sustenta que a VMQ surgiu como forma de fortalecer os EUA no cenário da Guerra Fria, após a experiência israelense nas Guerras de 1969 e 1973 terem consolidado o Estado-judeu como um aliado estratégico, sendo necessário garantir a sua sobrevivência em uma região hostil; entretanto com a reforma no perfil de força estadunidense e a promulgação da Doutrina Carter na década de 1980, adentrou-se uma fase transicional nas relações entre Estados Unidos e Israel A hipótese que rege o segundo período de análise estabelece que esta transição culminou, no pós-Guerra Fria, em um contingenciamento da VMQ, dada a extensão da presença militar dos EUA no Oriente Médio, erodindo a aliança entre o país norte-americano e seu histórico parceiro na região – isto motiva ambos os países a buscarem novos aliados no Sistema Internacional. Por fim, a última hipótese argumenta que os efeitos as demais mudanças geopolíticas em curso no Oriente Médio (a chegada de outras potências estrangeiras à região, a assinatura do Acordo Nuclear de 2015, a ameaça do ISIS e a possibilidade de uma Arábia Saudita nuclearizada) somados aos do crescente distanciamento americano estão invertendo a correlação de forças regionais, colocando Israel em uma posição extremamente perigosa. Tentar-se-á comprovar ou refutar tais hipóteses, a fim de analisar a possibilidade de uma futura parceria entre Israel e Brasil.
Abstract This study aims to examine the relationship between the USA and Israel in three different periods: from 1969 to 1991, from 1991 to 2015 and from 2015 to the present day. The main objective of this monograph is to explain the doctrine of Qualitative Military Edge (QME) and to demonstrate that there has been a gradual contingency of the same, from the second period of analysis onwards. It also seeks to answer how the contingency of QMV has affected relations between Israel and the US and how this can affect Middle Eastern geopolitics. The first hypothesis holds that a QME emerged as a way of strengthening the US during the Cold War, after the Israeli experience in the Wars of 1969 and 1973 consolidated the Jewish state as a strategic ally, becoming necessary to ensure its survival in a hostile environment; however, with the reform of the US force profile and the promulgation of the Carter Doctrine in the 1980s, began a transitional phase in the US-Israeli relations The hypothesis that governs the second period of analysis establishes that the transition culminated, in the post-Cold War period, in a contingency of QME, given an increase in the extension of the US military presence in the Middle East, eroding the alliance between the American country and its historic partner in the region - that is, it motivates both countries to seek new allies in the International System. Finally, the last hypothesis argues that the effects of the geopolitical changes in the Middle East (the arrival of other foreign powers to the region, the signing of the 2015 Nuclear Agreement, the threat ISIS represents and the possibility of a nuclear-armed Saudi Arabia) added to the effects of the increasing American detachment are inverting the regional correlation of forces, placing Israel in a very dangerous position. An attempt will be made to prove or refute such hypotheses, in order to analyze the possibility of a future partnership between Israel and Brazil.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/166152
Arquivos Descrição Formato
001026471.pdf (1.497Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.