Repositório Digital

A- A A+

Agronegócio e indústria na política externa brasileira no Governo Lula (2003 – 2010)

.

Agronegócio e indústria na política externa brasileira no Governo Lula (2003 – 2010)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Agronegócio e indústria na política externa brasileira no Governo Lula (2003 – 2010)
Autor Ribeiro, Júlia
Orientador Silva, André Luiz Reis da
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Relações Internacionais.
Assunto Agronegócios
Governo Luiz Inácio Lula da Silva : 2003-2010
Indústria
Política externa : Brasil
[en] Agribusiness
[en] Business class
[en] Foreign policy
[en] Industry
[en] Lula’s government
[en] Sovereign insertion
Resumo O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (2003 - 2010) está inserido em um período de crise do neoliberalismo no Brasil, provocando modificações na relação entre Estado e empresariado nacional. O período neodesenvolvimentista inaugurado com Lula, nesse sentido, ao buscar a mudança aos rumos do Brasil, buscou a inserção soberana no sistema internacional, no âmbito da política externa, principalmente nas arenas multilaterais, defendendo os interesses nacionais e diversificando suas parcerias internacionalmente. O presente trabalho, dessa forma, almeja fazer um estudo sobre como as relações entre Estado e empresariado nacional afetaram a política externa, apontando convergências e divergências entre os dois atores a partir do recorte das negociações multilaterais durante o governo Lula (ALCA, Mercosul, Mercosul-UE e OMC). O objetivo final da presente monografia é analisar como os interesses do agronegócio e da indústria, dois atores domésticos e privados representados por suas respectivas entidades de classe, influenciaram ativamente a formação da política externa brasileira, a partir de um discurso de inserção soberana, inserido no contexto de uma estratégia de autonomia pela diversificação e de um projeto de neodesenvolvimentismo.
Abstract Luiz Inácio Lula da Silva’s government (2003 - 2010) happened during a period of Brazilian neoliberalism’s crisis, provoking changes in the relationship between State and national business class. The neodevelopmentist era, inaugurated with Lula, in this way, by seeking changes to the paths of Brazil, looked forward the sovereign participation in the International System, within the scope of foreign policy, mainly in the multilateral arenas, defending its national interests and diversifying its partnerships internationally. The present work therefore aims at making a study on how the relations between State and national business class affected the foreign policy, pointing convergences and divergences between both actors seen from the angle of multilateral negotiations during Lula’s government (ALCA, Mercosul, Mercosul-EU and OMC). The final objective of the present monograph is to analyze how the agribusiness’ and industry’ interests, two domestic and private actors represented respectively by their class entities, influenced actively the Brazilian foreign policy’s formation, from the perspective of a sovereign insertion speech, in the context of a autonomy by diversification strategy and of a neodevelopmentist project.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/166175
Arquivos Descrição Formato
001026479.pdf (1.063Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.