Repositório Digital

A- A A+

Percepções de adolescentes frente as IST/HIV/AIDS : demandas de cuidado à saúde, na perspectiva das vulnerabilidades

.

Percepções de adolescentes frente as IST/HIV/AIDS : demandas de cuidado à saúde, na perspectiva das vulnerabilidades

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Percepções de adolescentes frente as IST/HIV/AIDS : demandas de cuidado à saúde, na perspectiva das vulnerabilidades
Outro título Perceptions of adolescents in relation to IST/HIV/SIDA: demands of health care from the perspective of vulnerabilities.
Autor Brum, Maria Luiza Bevilaqua
Orientador Motta, Maria da Graça Corso da
Co-orientador Zanatta, Elisangela Argenta
Data 2017
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Doenças sexualmente transmissíveis : Adolescência
Síndrome da imunodeficiência adquirida : Adolescência
Vulnerabilidade em saúde
[en] Acquired immunodeficiency syndrome
[en] Adolescent
[en] Nursing
[en] Sexually Transmitted Infections
[en] Vulnerability
Resumo Considerando as situações de vulnerabilidades individuais, sociais e programáticas presentes nos cotidianos de vida adolescentes perante as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), avaliadas atualmente como principal fator facilitador da transmissão sexual do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), este estudo objetivou conhecer os elementos que constituem as vulnerabilidades na prevenção das IST/HIV/AIDS de um grupo de adolescentes e identificar suas demandas de cuidado à saúde com base no Modelo Bioecológico do desenvolvimento humano. É um estudo qualitativo, conduzido pelo método Photovoice de Caroline C. Wang, usado parcialmente para coleta de informações. O estudo ocorreu em uma Organização Não Governamental (ONG) situada em um município do oeste de Santa Catarina com a participação de dez adolescentes de ambos os sexos, com idades entre 12 e 18 anos. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Estado de Santa Catarina, sob o número 1.267.706. As informações foram interpretadas à luz da Hermenêutica proposta por Paul Ricouer, com suporte no referencial da Vulnerabilidade e do Modelo Bioecológico, emergindo dois temas principais: percepções dos adolescentes perante a prevenção das IST/HIV/AIDS e demandas de cuidado perante a prevenção das IST/HIV/AIDS dos adolescentes. Os resultados sinalizam que o microssistema, ou sistema familiar, é o alicerce do cuidado à saúde sexual dos adolescentes: mesmo que existam constrangimentos e conhecimento incipiente, o que ela ensina repercute em seus comportamentos. O mesossistema, isto é, as vivências com vizinhos e amigos, oportuniza aprendizados; já o exossistema, por meio da ONG, influencia seus crescimentos e desenvolvimento saudáveis; o cronossistema compõe suas histórias de vida, contribuindo com o somatório de conhecimentos que adquirem, enquanto o macrossistema envolve a cultura, as políticas e as ações programáticas de saúde, inseridas nos seus convívios sociais que os fazem perceber a necessidade de autocuidado. Identificou-se que os adolescentes são carentes de informações sobre as IST/HIV/AIDS, sobressaindo o sentimento de vergonha, problemática que também favorece as dificuldades de acesso aos bens e serviços disponibilizados gratuitamente. As demandas de cuidado na saúde sexual englobam o desejo de informações/educação sobre as IST/HIV/AIDS, visitas domiciliares, promoção de campanhas, distribuição de folders e panfletos para despertar nas pessoas a necessidade da prevenção às doenças sexuais. A proposta é empoderar a família porque, como a formadora das bases dos conhecimentos dos adolescentes, poderá contribuir para o não fortalecimento das vulnerabilidades individuais, sociais e programáticas, como também o não favorecimento de ambientes suscetíveis à possibilidade de adoecimento. Acredita-se que os resultados deste estudo fornecem subsídios para o cuidado de enfermagem porque, no âmbito das vulnerabilidades e dos ambientes bioecológicos em que vivem os adolescentes, destacam pontos importantes possíveis de serem incluídos nas estratégias de cuidado à saúde dos mesmos.
Abstract Considering situations of individual, social and programmatic vulnerabilities present in the daily lives of adolescents, against Sexually Transmissible Infections (IST), currently evaluated as the main facilitator of sexual transmission of Human Immunodeficiency Virus (HIV) and Syndrome Immunodeficiency Acquired (SIDA). This study aimed to know the elements that constitute vulnerabilities in the prevention of IST/HIV/SIDA of a group of adolescents and to identify their health care demands based on the Bioecological Model of human development. It is a qualitative study, driven by the Photovoice method of Caroline C. Wang, used partially for information gathering. The study was carried out at a non-governmental organization (ONG) located in a municipality in the west of Santa Catarina with the participation of ten adolescents of both sexes, aged between 12 and 18 years. The research was approved by the Research Ethics Committee of the State University of Santa Catarina, under the number 1,267,706. The information was interpreted in the light of the hermeneutics proposed by Paul Ricouer, supported by the Vulnerability and Bioecological Model, with two main themes emerging: adolescents' perceptions regarding IST/HIV/SIDA prevention and care demands for prevention IST/HIV/SIDA of adolescents. The results indicate that the microsystem, or family system, is the foundation of adolescent sexual health care: even if there are constraints and incipient knowledge, what it teaches has repercussions on their behaviors. The mesosystem, that is, the experiences with neighbors and friends opportunize learning; already, the exosystem, through the ONG, influences its healthy growth and development. The chronosystem composes their life histories and thus contributes with the sum of knowledge they acquire, while the macro system involves the culture, the policies and the programmatic actions of health, inserted in their social relations that make them realize the necessity of self-care. It was identified that adolescents lack information about IST/HIV/SIDA, with a feeling of shame, a problem that also favors the difficulties of access to the goods and services available free of charge. The demands for sexual health care include the desire for information / education about IST/HIV/SIDA, home visits, promotion of campaigns, distribution of folders and leaflets to awaken in people the need to prevent sexual diseases. The proposal is to empower the family because, as the founder of the knowledge bases of adolescents, it can contribute to the non-strengthening of individual, social and programmatic vulnerabilities, and the non-favoring of environments susceptible to the possibility of becoming ill. It is believed that the results of this study provide subsidies for nursing care, since, within the scope of the bioecological vulnerabilities and environments in which adolescents live, highlights important and possible points to be included in the health care strategies of the same.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/168940
Arquivos Descrição Formato
001047612.pdf (2.701Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir
001047612.mp4 (55.19Mb) Vídeo Vídeo Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.