Repositório Digital

A- A A+

Socialização juvenil, cultura e sub-representação política feminina no Brasil

.

Socialização juvenil, cultura e sub-representação política feminina no Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Socialização juvenil, cultura e sub-representação política feminina no Brasil
Autor Bicca, Renato Dutra
Orientador González, Rodrigo Stumpf
Data 2017
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de Ciências Sociais: Bacharelado.
Assunto Cultura política
Igualdade
Política brasileira
Representação feminina
Representação política
Socialização política
[en] Political Culture
[en] Political Socialization
[en] Women's Under Representation
Resumo O presente estudo propõe uma análise da existência de uma relação entre o processo de socialização política das jovens e a sub-representação das mulheres na política brasileira. O problema central da pesquisa é: a socialização política das jovens influencia a subrepresentação feminina na política brasileira? O trabalho justifica-se na medida em que se busca realizar um estudo a respeito do modelo democrático representativo, em que o conceito de igualdade política encontra-se restrito não somente ao direito de voto, mas também ao direito de poder ser votado e, assim, decidir e intervir em assuntos do interesse de toda a comunidade política. Nesse sentido, torna-se evidente que a baixa participação e representação de grupos subalternos (no caso deste estudo, as mulheres) é um problema a ser solucionado, visto que representa um desiquilíbrio decorrente de vetos políticos históricos e de desvantagens sociais, políticas e econômicas resultantes de prejulgamentos e de valores de gênero. O objetivo geral é analisar de que forma a socialização política contribui (ou não) para a participação das jovens na vida política. Em relação aos objetivos específicos, são apresentados: (1) Identificar o interesse das jovens na vida política; (2) Verificar quais valores e normas estão sendo transmitidos para as jovens através dos processos de socialização e; (3) analisar se esses valores e normas estão influenciando ou não a sub-representação política feminina. As hipóteses que norteiam a pesquisa são: (1) A socialização política das jovens mantém valores e normas tradicionais repassados pelas gerações anteriores e; (2) o tipo de cultura política das jovens não favorece a ocupação de cargos políticos eletivos pelas mulheres. Para responder ao problema e aos objetivos expostos, a metodologia adotada é a quantitativa, por meio do método de pesquisa tipo survey. A análise dos dados é conduzida pela utilização do programa de análise estatística IBM SPSS. No caso dessa análise, a variável independente utilizada é o sexo. Para a realização deste trabalho, são utilizados os dados da pesquisa empírica “Democracia, mídias e capital social”, conduzida pelo Núcleo de Pesquisa sobre a América Latina (NUPESAL), entre os anos de 2015 e 2016, nas três capitas da região sul do Brasil: Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba, com 2.035 jovens, entre 13 e 24 anos de idade, de escolas públicas e privadas (do 1° ao 3° ano do ensino médio). Os resultados demonstram um baixo interesse em política entre as mulheres. Porém, as jovens apresentam predisposições atitudinais maiores à participação se comparadas aos homens sem, contudo, concretizar essa participação, o que mantém um padrão de cultura política denominada “híbrida”. O pouco interesse dos pais em política pode ser um fator que tenha colaborado para uma transmissão ineficiente de atitudes, normas e crenças em relação à política, dificultando o surgimento de pretensões políticas entre as mulheres.
Abstract This study proposes an analysis of the existence of a relationship between the process of political socialization of young women and the under representation of women in Brazilian politics. The central problem of the research is: does the political socialization of young women influence women's under representation in Brazilian politics? The work is justified to the extent that it is sought to carry out a study on the representative democratic model, in which the concept of political equality is restricted not only to the right to vote, but also to the right to be voted and thus, decide and intervene in matters of concern to the entire political community. In this sense, it is evident that the low participation and representation of subaltern groups (in the case of this study, women) is a problem to be solved since it represents an imbalance due to historical political vetoes and social, political and economic disadvantages resulting from prejudices and gender values. The general objective is to analyze how political socialization contributes (or not) to the participation of young women in political life. In relation to specific objectives, the following are presented: (1) Identify the interest of young women in political life; (2) Check what values and norms are being transmitted to the young through the processes of socialization and; (3) analyze whether these values and norms are influencing female political under representation. The hypotheses that guide the research are: (1) The political socialization of young people maintains traditional values and norms passed on by previous generations; (2) the type of political culture of young women does not favor the occupation of elected political positions by women. In order to respond to the problem and the stated objectives, the methodology adopted is the quantitative one, through the research method survey type. Data analysis is conducted using the statistical analysis program IBM SPSS. In the case of this analysis, the independent variable used is sex. For the realization of this work, the data of the empirical research “Democracia, mídias e capital social”, conducted by the Núcleo de Pesquisa sobre a América Latina (NUPESAL) will be used, between the years of 2015 and 2016, in the three capitals of the region South of Brazil: Porto Alegre, Florianópolis and Curitiba, with 2,035 young people between 13 and 24 years of age from public and private schools (from 1st to 3rd year of high school). The results demonstrate a low interest in politics among women. But the girls present attitudinal predispositions greater than the participation when compared to men although this participation doesn’t concretize, which maintains a pattern of political culture denominated “hybrid”. The lack of parental interest in politics may be a factor that has contributed to an inefficient transmission of attitudes, norms, and beliefs about politics, making it difficult for political pretenses to emerge among women.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/169007
Arquivos Descrição Formato
001047020.pdf (15.06Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.