Repositório Digital

A- A A+

Sinuosos caminhos de abril : três olhares sobre a revolução dos cravos

.

Sinuosos caminhos de abril : três olhares sobre a revolução dos cravos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Sinuosos caminhos de abril : três olhares sobre a revolução dos cravos
Autor Brito, Sandra Beatriz Salenave de
Orientador Tettamanzy, Ana Lúcia Liberato
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Almeida, Germano 1945-.
Brito, Carlos 1933-.
Couto, Mia 1955-.
Critica e interpretacao
Descolonização
Dona Pura e os camaradas de abril (Livro)
Estado novo (Portugal)
Identidade nacional
Literatura comparada
Literatura e História
Literatura portuguesa
Revolução dos cravos
Salazarismo
Vale a pena ter esperança (Livro)
Vinte e cinco (Livro)
[es] Descolonización
[es] Historia
[es] Identidad
[es] Revolución de los claveles
Resumo O presente trabalho tem por objetivo analisar a relação entre história, literatura e construção permanente da identidade a partir do corpus literário escolhido - Vinte e Zinco do moçambicano Mia Couto, Dona Pura e os Camaradas de Abril do cabo-verdiano Germano Almeida, e Vale a Pena Ter Esperança do português Carlos Brito, que fazem parte da Coleção Caminhos de Abril do Editorial Caminho, que comemorou o vigésimo quinto aniversário do fim do Estado Novo português. A Revolução dos Cravos pôs fim ao regime salazarista, que oprimiu portugueses e africanos por quase meio século e que deixou suas marcas até a atualidade, interferindo na constituição da identidade cultural dos sujeitos envolvidos neste processo. Essa análise enfatiza a interação, por muitas vezes conflituosa, entre culturas tão diversas como a portuguesa e a africana, recorrendo a Homi Bhabha (1998), Stuart Hall (2003) e Edward Said (1995). Para compreendermos as particularidades do imperialismo português, utilizamos Margarida Calafate Ribeiro (2003), Boaventura de Sousa Santos (1999) e Eduardo Lourenço (1978, 1994 e 1999).
Resumen El presente trabajo analiza la relación entre historia, literatura y construcción permanente de la identidad, partiendo del corpus literario elegido - Vinte e Zinco del mozambicano Mia Couto, Dona Pura e os Camaradas de Abril del cabo verdiano Germano Almeida y Vale a Pena Ter Esperança del portugués Carlos Brito, las cuáles forman parte da Coleção Caminhos de Abril del Editorial Caminho, la cuál conmemora el vigésimo quinto cumpleaños del fin del Estado Novo portugués. La Revolución de los Claveles terminó con el régimen salazarista, que oprimió portugueses y africanos por casi medio siglo, y que dejó sus marcas hasta la actualidad, interfiriendo en la constitución de la identidad cultural de los sujetos envueltos en este proceso. Este análisis enfatiza la interacción por muchas veces conflictiva entre culturas tan diversas como son la portuguesa y la africana, recurriendo a Homi Bhabha (1998), Stuart Hall (2003) y Edward Said (1995). Para comprender las particularidades del imperialismo portugués utilizamos Margarida Calafate Ribeiro (1993) , Boaventura de Sousa Santos (1999) y Eduardo Lourenço (1978, 1994 e 1999).
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/16903
Arquivos Descrição Formato
000707684.pdf (481.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.