Repositório Digital

A- A A+

O tema da qualidade espacial e a utilização da caminhada como método de estudo em arquitetura e urbanismo

.

O tema da qualidade espacial e a utilização da caminhada como método de estudo em arquitetura e urbanismo

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O tema da qualidade espacial e a utilização da caminhada como método de estudo em arquitetura e urbanismo
Autor Schmitt, Fernanda Junges
Orientador Aguiar, Douglas Vieira de
Data 2017
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Arquitetura. Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura.
Assunto Caminhabilidade
Caminhada
Urbanidade
[en] Architecture
[en] City
[en] Spatiality
[en] Spatial Quality
[en] Urbanity
[en] Walkability
Resumo Esta dissertação apresenta uma exploração teórica sobre o tema da qualidade espacial na arquitetura em suas diferentes escalas, tendo em conta o ponto de vista de um caminhante sensível ao meio que o envolve. Entende-se, no contexto teórico a ser apresentado, que o tema da qualidade do espaço público urbano tem particular relevância no atual momento das cidades, em função da prioridade destinada a automóveis e veículos automotores nas soluções da espacialidade urbana, normalmente em detrimento daquele que usa a cidade a pé. O trabalho busca fundamentação na produção literária e nas teorias de um grupo de autores com produção reconhecida no tema da espacialidade na arquitetura e nos estudos da cidade. A investigação sobre a qualidade espacial da arquitetura a ser apresentada fundamenta-se em três pilares, dois descritivos e um metodológico. De um lado estarão as descrições da configuração espacial e, de outro, em paralelo, as descrições da percepção espacial, ou seja, o modo como as situações espaciais são vividas e apreciadas pelo observador, quando o corpo e os sentidos do usuário ocupam um papel principal. Trabalhar-se-á com a hipótese de que os efeitos de configuração, sobre a qualidade espacial, ocorrem simultaneamente nas escalas local e global (AGUIAR, 2016a). Na escala global, a configuração espacial será abordada, inicialmente, através da descrição morfológica e, num segundo momento, a partir da condição de acessibilidade/sintaxe espacial e seus impactos na dita vitalidade urbana. Na escala local, a configuração espacial será examinada através tanto das características de delimitação espacial/enclausuramento quanto das características da constituição do espaço. Na sequência, tomando o corpo como categoria de percepção, o trabalho examinará as condições de legibilidade, entendida como funcionalidade visual, e de comodidade, entendida como funcionalidade háptica. Tendo em conta as descrições da qualidade espacial acima delineadas, o trabalho aborda, ao final, o tema do movimento como categoria metodológica. Seguindo esse roteiro, busca-se trazer à luz um conjunto de descrições da cidade relevantes no entendimento daquilo que se entende como qualidade espacial urbana, esperando assim contribuir para o debate sobre esse tópico, tão relevante no momento atual nos meios acadêmico e profissional.
Abstract This dissertation presents a theoretical exploration of the subject of spatial quality at different scales in architecture, taking into account the point of view of a walker sensitive to his/her surrounding environment. It is understood in the theoretical context to be presented hereafter that the subject of the quality of an urban, public space is particularly relevant to the cities of today, given the prioritization of cars and other motor vehicles in the designs of urban spaces, usually at the expense of those favored by walkers. This work is grounded in the literary production and the theories of a group of authors recognized for their authority in the field of spatiality in architecture and in the study of cities. The investigation of the spatial quality of architecture to be presented here is based on two descriptive pillars and one methodological. On the one hand, there are the descriptions of the spatial configurations and, on the other hand and in parallel, there are the descriptions of the spatial perception, namely how the observer is living and appreciating spatial situations in which the user’s body and senses play the main role. We will work on the hypothesis that the effects of configuration on the spatial quality occur simultaneously at the local and global scales (AGUIAR, 2016a). At the global scale, we will initially approach the spatial configuration through the morphological description and, in a second phase, from the condition of spatial accessibility/syntax and its impacts on the urban vitality. At the local scale, we will examine the spatial configuration on the one hand through the characteristics of the special delimitation/enclosure and, on the other hand, through the characteristics of the space’s constitution. Then, taking the body as the category of perception, our work is looking at the conditions of legibility, understood as the visual functionality, and of commodity, understood as the haptic functionality. Taking into account the descriptions of the spatial quality outlined above, we eventually address the theme of the movement as a methodological category. Following this roadmap, we aim to bring light to a series of descriptions of the city that are relevant to the comprehension of what is understood as urban quality. We hope this will contribute to the debate on this issue, which is so important currently among both academic and professional circles.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/171424
Arquivos Descrição Formato
001055384.pdf (25.17Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.