Repositório Digital

A- A A+

(Re)conhecendo a poética do traduzir: temas da tradução revisitados

.

(Re)conhecendo a poética do traduzir: temas da tradução revisitados

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título (Re)conhecendo a poética do traduzir: temas da tradução revisitados
Autor Santos, Rafael Lamonatto dos
Orientador Flores, Valdir do Nascimento
Data 2017
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Meschonnic, Henri, 1932-
Teoria da linguagem
Tradução
Traducao : Equivalencia
Tradução poética
Tradutologia
[en] Equivalence
[en] Fidelity
[en] Poetics of translating
[en] Translation
Resumo Esta dissertação se insere no contexto do debate em torno da tradução e apresenta dois objetivos: o primeiro, mais geral, é fazer o (re)conhecimento da poética do traduzir, projeto teórico do pensador francês Henri Meschonnic (1932-2009); o segundo, mais específico, é revisitar, a partir desse (re)conhecimento da poética do traduzir, três temas clássicos no debate em torno da tradução à luz dessa teoria, a saber, a própria tradução, a fidelidade e a equivalência. Justifica-se a inserção desta discussão no debate sobre a tradução pelo fato de a poética do traduzir apresenta um posicionamento bastante distinto daqueles mais reconhecidos hoje tanto na discussão acadêmica quanto no senso comum sobre o que é a tradução. Isso se deve ao fato de a poética do traduzir supor e indicar uma reflexão sobre a linguagem que modifica a visão do traduzir. A linguagem, no âmbito poético, não é tomada a partir dos termos comuns da língua (como forma e sentido, por exemplo), que representam uma visão redutora da linguagem, descontínua por natureza. Pelo contrário, a poética do traduzir situa a tradução – e a própria linguagem – no terreno do discurso, que é da ordem do contínuo, e, por aí, modifica o pensamento sobre o que é a linguagem e, consequentemente, o que é o traduzir. Desse modo, esta dissertação apresenta, inicialmente, as bases do pensamento poético, que dizem respeito a uma visão não-redutora da linguagem. Nesse contexto, a leitura meschonniquiana dos pensamentos de Wilhelm von Humboldt, Ferdinand de Saussure e Émile Benveniste é apresentada para embasar essa visão não-redutora. A partir dessa construção, passo aos elementos da poética do traduzir para que se faça claro o posicionamento teórico que Meschonnic apresenta para debater a tradução. Esse é um ponto de extrema relevância pois indica como funciona o sistema do pensamento poético, permitindo seu (re)conhecimento. Por fim, a discussão final se dá como consequência das reflexões anteriores. Se a poética modifica o saber sobre o traduzir, cumpre demonstrar como isso se dá em comparação com o pensamento sobre os temas propostos a partir da visão da Tradutologia para que se compreenda como a poética do traduzir introduz elementos que renovam o debate em torno desses temas comumente difundidos em discussões dessa natureza.
Abstract This dissertation is inserted in the context of the debate regarding translation and has two objectives: the first, more general, is to make the (re)acknowledgement of the poetics of translating, the theoretical project of the French thinker Henri Meschonnic (1932-2009); the second, more specific, is to revisit, based on this (re)acknowledgment of the poetics of translating, three classic themes in the debate regarding translation in the light of this theory, namely: translation itself, fidelity and equivalence. The insertion of this discussion in the debate about translation is justified by the fact that the poetics of translating presents a different point of view from those most recognized today in both academic discussion and common sense about what translation is. This is due to the fact that the poetics of translating assumes and indicates a reflection on language that modifies the idea of translating. Language, in the poetic scope, is not regarded by the common terms of a language (such as form and meaning, for example), which represent a reductive view of language, discontinuous in nature. On the contrary, the poetics of translating places translation – and language itself – in the field of discourse, which is of the order of the continuum, hence modifying the general idea about what language is, and consequently what is there to translate. In this way, this dissertation presents initially the bases of the poetic thought, which concern a non-reductive view of language. In this context, the meschonniquian reading of the ideas of Wilhelm von Humboldt, Ferdinand de Saussure and Émile Benveniste is presented to support this non-reductive view of language. From this construction, I turn to the elements of the poetics of translating so that the theoretical positioning that Meschonnic presents to discuss translation becomes clear. This is a point of extreme relevance because it indicates how the system of poetic thinking works, allowing its (re)acknowledgement. Lastly, the final discussion comes as a consequence of these previous reflections. If poetics modifies the knowledge about translation, it is necessary to demonstrate how this is done in comparison with the ideas about the themes proposed from the point of view of Traductology so that one understands how the poetics of translating introduces elements that renew the debate around these subjects commonly disseminated in discussions of this nature.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/173816
Arquivos Descrição Formato
001061667.pdf (1.669Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.