Repositório Digital

A- A A+

Contradição e determinismo : um estudo sobre o problema dos futuros contingentes em Tomás de Aquino

.

Contradição e determinismo : um estudo sobre o problema dos futuros contingentes em Tomás de Aquino

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Contradição e determinismo : um estudo sobre o problema dos futuros contingentes em Tomás de Aquino
Autor Schmidt, Ana Rieger
Orientador Storck, Alfredo Carlos
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Filosofia.
Assunto Aristóteles, 384-322 A.C. De Interpretatione = Da Interpretação
Determinismo (Filosofia)
Escolástica
Filosofia medieval
Futuros contingentes
Lógica aristotélica
Lógica medieval
Metafísica
Pensamento e linguagem
Princípio da não contradição (Lógica)
Princípio do terceiro excluído (Lógica)
Teoria da proposição
Tomás, de Aquino, Santo, 1225?-1274
Verdadeiro e falso (Filosofia)
[en] Bivalence
[en] Contradiction
[en] Determinism
[en] Future contingents
[en] Thomas Aquinas
Resumo A presente dissertação investiga a interpretação de Tomás de Aquino ao problema dos futuros contingentes, relativo ao capítulo 9 do tratado De Interpretatione, de Aristóteles. O objetivo central é explicar qual a função do termo "determinate" na interpretação de Tomás. Para isso, reconstrói a noção aristotélica de proposição como uma atividade enunciativa, assim como investiga o Livro Gama da Metafísica, o qual defende os princípios de não contradição e terceiro excluído. Nesse percurso, chama a atenção para o fato de que, do ponto de vista da proposição, as formulações sintáticas dos princípios metafísicos são primeiras em relação às semânticas. Com isso, pretende identificar uma distinção entre as condições de sentido de uma proposição e a atribuição de um valor verdade e, através de tal distinção, propõe uma leitura para a solução de Tomás de Aquino ao problema referido. Conclui que a oposição contraditória como exclusiva e exaustiva é uma tese logicamente anterior à caracterização da proposição como bivalente ou determinadamente verdadeira ou falsa.
Abstract This dissertation investigates the interpretation of Thomas Aquinas to the problem of future contingents, concerning the chapter 9 of Aristotle's De Interpretatione. The main goal is to explain what is the function of the term "determinate" on Aquinas's interpretation. For that reason, the dissertation intends to reconstruct Aristotle's notion of proposition as an enunciating activity, as well as to investigate the Book Gamma of Metaphysics, which defends the principles of non-contradiction and excluded middle. During that reasoning, it turns the attention to the fact that, from the proposition's point of view, the syntactic formulations of the metaphysical principles are prior to the semantic ones. Thereby, it claims to identify a distinction between the sense conditions of a proposition and the attribution of a truth value and, as a result of that distinction, it proposes a reading of Aquinas's solution to the abovementioned problem. It concludes that the contradictory opposition as excluding and exhausting is a thesis logically prior to the characterization of a proposition as bivalent or determinately true or false.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/17659
Arquivos Descrição Formato
000720844.pdf (732.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.