Repositório Digital

A- A A+

Associação entre os níveis plasmáticos da mieloperoxidase e a gravidade angiográfica da doença arterial coronariana em pacientes com síndrome coronariana aguda

.

Associação entre os níveis plasmáticos da mieloperoxidase e a gravidade angiográfica da doença arterial coronariana em pacientes com síndrome coronariana aguda

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Associação entre os níveis plasmáticos da mieloperoxidase e a gravidade angiográfica da doença arterial coronariana em pacientes com síndrome coronariana aguda
Outro título Association between plasma myeloperoxidase levels and angiographic severity of coronary artery disease in patients with acute coronary syndrome
Autor Lúcio, Eraldo de Azevedo
Orientador Wainstein, Marco Vugman
Data 2009
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares.
Assunto Infarto do miocárdio
Peroxidase
Síndrome coronariana aguda
[en] Acute coronary syndromes
[en] Angiography
[en] Coronary artery disease
[en] Myeoloperoxidase
Resumo Fundamento: Os níveis plasmáticos da mieloperoxidase (MPO) estão elevados em pacientes com síndrome coronariana aguda (SCA) como conseqüência de intensa ativação neutrofílica. A capacidade da MPO em predizer a gravidade da doença arterial coronariana (DAC) nos pacientes com SCA é alvo de controvérsia. Objetivo: Avaliar a associação entre os níveis plasmáticos da MPO e a gravidade das lesões ateroscleróticas coronarianas em pacientes com SCA sem elevação de ST. Métodos: Pacientes com SCA de alto risco que foram submetidos à angiografia coronariana durante as primeiras 72 horas do início dos sintomas, realizaram uma única dosagem plasmática de MPO. O escore de Gensini foi utilizado para avaliar a gravidade angiográfica da DAC. Resultados: Entre os 48 pacientes estudados, 85,4% tinham níveis elevados de troponina. As medianas dos níveis da MPO e do escore de Gensini foram 6,9 ng/mL (mínima= 4,4; máxima= 73,5), e 10 (mínima= 0; máxima= 87,5), respectivamente. O coeficiente de Spearman não mostrou correlação significativa entre os níveis de MPO e o escore de Gensini (rs= 0,2; P= 0,177). Os pacientes com níveis de MPO ≤ 6,9 ng/mL apresentaram um escore de Gensini de 8,3, enquanto que aqueles com a MPO > 6,9 ng/mL apresentaram um escore de 13,8, (P= 0,386). Os pacientes com escore de Gensini ≤ 10 apresentaram níveis de MPO de 6,6 ng/mL, enquanto aqueles com escore > 10 apresentaram níveis de MPO de 8,5 ng/mL (P= 0,126). Não houve associação entre os níveis de MPO e a extensão da lesão coronariana (rs= 0,047; P= 0,756). Na análise multivariada a MPO não mostrou correlação com nenhuma outra variável. Conclusões: Não houve associação entre os níveis plasmáticos de MPO e a gravidade angiográfica da DAC em pacientes com SCA com indicação de estratificação invasiva. Esse achado sugere que a expressão da MPO como um biomarcador inflamatório está dissociada da gravidade anatômica das lesões coronarianas.
Abstract Background: Myeloperoxidase (MPO) plasma levels are elevated in patients with acute coronary syndrome (ACS) as a consequence of intense neutrophilic activity. MPO capacity to predict the severity of coronary artery disease (CAD) in ACS patients is controversial. Objective: To evaluate the association between MPO plasma levels and severity of coronary atherosclerotic lesions in non-ST elevation ACS patients. Methods: High-risk ACS patients who were submitted to coronary angiography within the first 72 hours after onset of symptoms had one single MPO plasma measurement. Gensini score was used to evaluate angiographic CAD severity. Results: Among the 48 patients studied, 85.4% had elevated troponin levels. MPO plasma levels and Gensini median values were 6.9 ng/mL (range 4.4 to 73.5), and 10 (range 0 to 87.5), respectively. Spearman’s coefficient did not show a significant correlation between MPO levels and Gensini score (rs = 0.2; P = 0.177). Patients with MPO levels ≤ 6.9 ng/mL had a Gensini score of 8.3, whereas the patients with MPO levels > 6.9 ng/mL had a Gensini score of 13.8 (P = 0.386). Patients who presented a Gensini score ≤ 10 had MPO levels of 6.6 ng/mL, while the patients with Gensini score > 10 presented MPO levels of 8.5 ng/mL (P = 0.126). There was no significant association between MPO plasma levels and coronary lesion length (rs= 0.047; P= 0.756). On multivariate analysis there was not association between MPO and any other variable. Conclusion: There was no association between plasma MPO levels and CAD angiographic severity in ACS patients with indication of invasive stratification. This finding suggests that MPO expression as an inflammatory biomarker is dissociated from the anatomical severity of the coronary lesions.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/17763
Arquivos Descrição Formato
000720511.pdf (447.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.