Repositório Digital

A- A A+

Adaptações curriculares e processos inclusivos na educação infantil

.

Adaptações curriculares e processos inclusivos na educação infantil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Adaptações curriculares e processos inclusivos na educação infantil
Autor Vargas, Josiane de Souza
Orientador Baptista, Cláudio Roberto
Data 2009
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Especialização em Educação Especial e Processos Inclusivos.
Assunto Educação especial
Educação infantil
Inclusão escolar
Resumo O presente trabalho tem por objetivo analisar a importância das adaptações curriculares na Educação Infantil, considerada, conforme legislação (LDB 9394/96), como a primeira etapa da Educação Básica. Para tanto, este estudo valorizou os processos inclusivos e foi construído como uma análise de caráter teórico/documental que colocou em destaque documentos do Ministério da Educação centrados na área da Educação, conectando: a Educação Infantil e a Educação Especial. No que se refere à busca de interlocutores teóricos, foram considerados estudiosos da educação especial, dentre os quais destaco: Rosita Carvalho, Rosa Blanco, dentre outros. Ao longo da realização deste estudo, procurou-se definir e compreender, mais detalhadamente, os conceitos chave: Educação Inclusiva, Adaptações Curriculares, Educação Infantil, Infância. Primeiramente, foi definido o conceito de Adaptações Curriculares, entendidas como modificações feitas pelo professor, cuja finalidade é viabilizar a participação de todos os alunos, incluindo os que apresentam dificuldades ou necessidades educacionais especiais nas atividades desenvolvidas no contexto escolar. Nessas adaptações, o currículo deve ser readaptado com modificações necessárias nos objetivos, conteúdos, metodologias de ensino, temporalidade e avaliação, proporcionando a todos a possibilidade de aprenderem juntos. O presente estudo teve o intuito de mostrar as progressivas mudanças, relacionadas entre a história da infância e as instituições direcionadas às crianças pequenas. Foi destacado o princípio que conviver em escolas inclusivas, desde o início do processo de escolarização, favorece a todas as crianças a oportunidade de participar do processo de ensino e aprendizagem, valorizando o respeito às diferenças, às diferentes formas de comunicação e aos ritmos de aprendizagem de cada um. Este estudo visa compreender a necessidade de utilização das adaptações curriculares (significativas ou não-significativas). Entende-se por adaptações não significativas, aquelas que possuem dois aspectos: primeiro, pequenas modificações no currículo sistematizado para um determinado grupo; segundo, modificações realizadas pelo docente por estarem integradas com relação à dinâmica da sala de aula. As significativas, indicadas para severas dificuldades de aprendizagem, sugerem a alteração (temporária ou não) de conteúdos e/ou de objetivos considerados básicos. Sendo assim, as adaptações curriculares são consideradas como um conjunto de estratégias que possibilitam ao professor readaptar o currículo seguindo as necessidades de cada aluno de modo a promover a todas as crianças, que freqüentam a Educação Infantil, a oportunidade de aprenderem juntas.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/17908
Arquivos Descrição Formato
000726077.pdf (298.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.