Repositório Digital

A- A A+

Significante escola : um outro lugar de subjetivação possível?

.

Significante escola : um outro lugar de subjetivação possível?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Significante escola : um outro lugar de subjetivação possível?
Autor Fasolo, Liege Bertolini
Orientador Moschen, Simone Zanon
Co-orientador Simoni, Ana Carolina Rios
Data 2009
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Especialização em Educação Especial e Processos Inclusivos.
Assunto Educação especial
Inclusão escolar
Subjetividade
Resumo No Brasil, poucos são os estudos, tanto no campo da saúde quanto na educação, sobre os sujeitos que apresentam autismo. Quando se fala na inclusão de crianças com transtornos graves na estruturação psíquica, entre eles, os chamados autistas, a discussão em relação á escolarização permanece em segundo plano. As intervenções priorizam atendimentos clínicos individualizados ou atendimentos educacionais reeducativos, visando a mudança de comportamentos considerados inadequados. Estas diferenças de comportamento obstaculizam a escolarização destas crianças. Considerando a importância da escola como potencializadora na estruturação psíquica destes sujeitos, a inclusão destas crianças desde a educação infantil é fundamental no resgate das possibilidades destes sujeitos. Para sustentar esta proposição da pesquisa, retoma-se historicamente a questão do autismo, a estruturação do sujeito na abordagem psicanalítica, a conceituação do autismo para a psicanálise lacaniana, entendendo a estrutura autista sob o ângulo de falha na função materna. Como no período da infância as estruturas não estão ainda decididas, propõe-se que a educação poderia ser outro meio de tratar estas crianças e que a escola, ou melhor, alguém que faz parte do corpo escolar, pode fazer a suplência da função materna, de algo que falhou na relação primeira do bebê com sua mãe. Espera-se que este trabalho possa contribuir na construção de um olhar sobre estes sujeitos com transtornos graves na estruturação psíquica e as possibilidades subjetivas educacionais, apostando nos ganhos referentes à escolarização precoce, no sentido de oportunizar um espaço onde estas crianças possam se posicionar diferente no campo da linguagem. O encontro com estes sujeitos, coloca em jogo os limites do nosso saber, os pontos de "ignorância" e a importância de abandonarmos nossas verdades absolutas e estarmos abertos a escutar outros discursos para tentar transpor os impasses que se estabelecem no encontro com esses sujeitos. A partir das observações e constatações feitas no percurso do atendimento clínico de uma criança autista e a tentativa de inclusão numa creche municipal, apostando que a escola possa fazer a suplência da função materna, foi realizada uma reflexão sobre as possibilidades e impasses na escolarização de crianças autistas nas educação infantil.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/17914
Arquivos Descrição Formato
000726082.pdf (451.7Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.