Repositório Digital

A- A A+

Prevalência de perda auditiva em recém-nascidos de muito baixo peso

.

Prevalência de perda auditiva em recém-nascidos de muito baixo peso

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Prevalência de perda auditiva em recém-nascidos de muito baixo peso
Outro título Prevalence of very low birth weight neonates’ hearing loss
Autor Uchôa, Natacha Toniazzi
Orientador Procianoy, Renato Soibelmann
Co-orientador Lavinsky, Luiz
Data 2003
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Pediatria.
Assunto Audiometria de resposta evocada
Estudos transversais
Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal.
Perda auditiva bilateral
Recém-nascido de baixo peso
Teste de impedância acústica
Triagem neonatal
[en] Auditory evoked brain response
[en] Distortion evoked otoacoustic emissions
[en] Very low birth weight neonates
Resumo Objetivos: avaliar a prevalência de alterações auditivas em recém-nascidos de muito baixo peso na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e estudar as variáveis que possam estar relacionadas com as alterações da acui-dade auditiva. Métodos: foi realizado um estudo transversal que incluiu todos os recém-nascidos de muito baixo peso admitidos na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal do Hospital de Clínicas de Porto Alegre no período de 1o de setembro de 2001 a 31 de janeiro de 2002. To-dos os pacientes foram submetidos ao exame de otoemissão acústica evocada por produto de distorção no momento da alta hospitalar. O exame foi repetido em 30 dias quando havia alte-ração no primeiro exame. Quando o paciente apresentava o exame de otoemissão acústica al-terada em duas ocasiões, era realizado o potencial auditivo evocado cerebral, considerado al-terado a partir de 35 dB NA. Resultados: foram estudados 96 recém-nascidos. Seis tiveram tanto o exame de otoemissão acústica quanto o potencial auditivo evocado cerebral alterados. A média da idade gestacional foi de 31,5 ± 2,6 semanas, o peso de nascimento variou de 640 a 1.500 g e 57,3% dos pacientes eram do sexo feminino. A idade gestacional e o índice de Apgar no 5o minuto foram inferiores no grupo otoemissão acústica e potencial auditivo evocado cerebral alterados em relação aos demais grupos, atingindo significância limítrofe. Conclusões: a prevalência de perda auditiva nos recém-nascidos de muito baixo peso da Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal do Hospital de Clínicas de Porto Alegre foi de 6,3%, tendo sido observadas associações de significância limítrofe com idade gestacional e índice de Apgar no 5o minuto.
Abstract Objectives: to evaluate the prevalence of hearing loss in very low birth weight patients in the Neonatal Intensive Care Unit of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre and to study the variables that can be related to hearing loss. Methods: a transversal study was carried through including all very low birth weight neonates admitted in the Neonatal Intensive Care Unit of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre during September 1, 2000 to January 31, 2002. All patients were undergone to the distortion evoked otoacoustic emission test in the hospital discharge. When the patient presented alteration in this test, it was repeated in 30 days. However, when the patient who presented pathologic otoacoustic emission on two ocasions was undergone to the auditory evoked brain response. This test was considered abnormal from 35 dB NA. Results: we studied 96 neonates. Six children presented alteration in the distortion evoked otoacoustic emission test as well in the auditory evoked brain response. The children age average was 31.5 ± 2.6 weeks, their birth weight was between 640 g and 1,500 g, and 57.3% of the patients were female. The gestational age and the Apgar score at 5 minutes were inferior in the otoacoustic emission and auditory evoked brain response abnormal group related to the other groups, reaching bordering significance. Conclusions: the hearing loss prevalence of the very low birth weight neonates from the Neonatal Intensive Care Unit of the HCPA was 6.3%, and it was observed bordering significance associations related to gestational age and 5 minutes Apgar score.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/1812
Arquivos Descrição Formato
000358402.pdf (1.682Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.