Repositório Digital

A- A A+

O idoso hospitalizado : perspectivas do próprio sujeito a respeito de si mesmo, dos familiares e dos profissionais cuidadores

.

O idoso hospitalizado : perspectivas do próprio sujeito a respeito de si mesmo, dos familiares e dos profissionais cuidadores

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O idoso hospitalizado : perspectivas do próprio sujeito a respeito de si mesmo, dos familiares e dos profissionais cuidadores
Autor Dalbosco, Simone Nenê Portela
Orientador Doll, Johannes
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Envelhecimento
Pessoa idosa
Saúde
[en] Ageing
[en] Family caregivers
[en] Hospitalized senior citizen
[en] Professional caregiver
[en] Senior citizen
Resumo O envelhecimento populacional é um processo universal, que não afeta apenas o indivíduo, mas também a família e a sociedade. No Brasil, o número de idosos está crescendo, o que torna necessário discutir sobre o exercício do cuidado destinado ao sujeito idoso, sobretudo o hospitalizado, bem como as perspectivas que este possui a respeito de si mesmo, dos familiares e dos profissionais cuidadores. O objetivo geral desta pesquisa qualitativa consistiu, assim, em conhecer e compreender a percepção do sujeito idoso hospitalizado a respeito de si mesmo e dos cuidadores familiares e profissionais. Foram sujeitos da pesquisa 19 idosos hospitalizados, com 60 anos ou mais, capazes de responder às questões aplicadas oralmente, a partir de um roteiro prévio, após várias observações, no período de 2007 e 2008, numa instituição hospitalar privada do RS. Tais respostas foram analisadas com base nas seguintes noções: conceitos e preconceitos relativos ao sujeito idoso; o autocuidado e o cuidado prestado por familiares e profissionais; perda de autonomia e institucionalização: a relação do idoso com o profissional cuidador; profissionais cuidadores da área da saúde; o profissional cuidador e a profissional cuidadora: a desigualdade entre os gêneros; qualidade de vida e saúde dos profissionais "cuida(dores)"; o surgimento dos hospitais; a ética, o SUS e as políticas públicas de saúde do idoso. Por meio da análise dos conteúdos, chegou-se a quatro categorias, definidas pelas respostas e não pelas questões: 1) "o idoso fala sobre si e sua doença"; 2) "a percepção do idoso com relação ao cuidador: os âmbitos familiar e profissional"; 3) "percepção do idoso em relação à instituição hospitalar"; 4) "percepção do idoso com relação aos seus direitos e deveres". A partir das respostas analisadas, concluiu-se que muitos sujeitos idosos não tinham clareza sobre a "sua" patologia; verificou-se a esperança em relação à vida e à cura de sua doença geralmente associada à religiosidade e à fé; esteve presente, ainda, a preocupação de se constituir um paciente permanente, com dependência irreversível dos medicamentos ou dos "cuida(dores)", perdendo, assim, a sua autonomia como sujeito. Em relação à instituição, embora tenha se constatado um atendimento ético e parcimonioso, nem sempre isso foi evidenciado pelos sujeitos idosos. O idoso com patologias graves referiu sentir-se mais seguro no hospital por ter ali o apoio técnico indispensável, preferindo, nessa ocasião, o cuidador profissional. Apesar da intenção explícita nas políticas públicas em considerar o idoso como sujeito em uma nova fase de vida, com necessidades e cuidados específicos, verificou-se que os direitos dos idosos ainda são desconhecidos pela sociedade e por eles próprios. A geriatria, a gerontologia e os novos conceitos delas decorrentes não alcançaram, ainda, todos os profissionais cuidadores de idosos, e menos ainda os seus familiares. Daí a urgência de um processo educativo e educador em torno do novo paradigma que busca, entre outras coisas, "pagar uma dívida" para com os idosos e resgatar o sujeito que a modernidade relegou a um lugar periférico e de invisibilidade.
Abstract The population ageing is a universal process that does not affect only the individual, but also the family and the community. In Brazil, the number of senior citizens is increasing and because of that it is necessary to discuss about the care of the elderly, especially the hospitalized one, as well as to reflect about their perspectives concerning themselves, the family and the professional caregivers. The goal of this qualitative research was to identify and to comprehend the perception of the hospitalized senior citizen concerning themselves, their family and the professional caregiver. The research subjects were 19 hospitalized senior citizens - 60 years old or more - who were able to answer the oral interviews, which were performed, based on a previous script and after several observations, in the period of 2007 and 2008, in a private hospital in the state of Rio Grande do Sul. The criteria used to subdivide the analysis in four categories were defined by the answers and not by the questions. Here they are: Talking about the senior citizens: some concepts and prejudices; The auto-care and the care rendered by family and professionals; Loss of autonomy and institutionalization: the relationship between the elder and the caregiver; Professional caregiver in the health area; From the female caregiver to the male one: the inequality between the genders; Life quality and the caregiver’s health; The hospitals beginning; Ethics and public health policies for the elderly. By the analysis of the contents, four categories were identified: first - "the elder speaks about himself and his disease"; second - "the perception of the elder regarding the caregiver: the familiar and professional scope"; third - "the perception of the elder regarding the hospital institution"; fourth - "the perception of the elder regarding their rights and duties." Based on the analysis realized, it was possible to conclude that many senior citizens did not have clearness about their pathology; the hope regarding life and the cure of the disease was almost associated to the religiosity and faith; the preoccupation of being a permanent patient, with irreversible dependence of medicines or caregivers, losing, thus, their autonomy. Considering the institution, although it was verified an ethical and parsimonious assistance, it was not always evidenced by the senior citizens. The ones with serious pathologies affirm to feel safer in hospital because of its indispensable technical support, desiring, so, the professional caregiver. Besides the explicit intention in the public policies of considering the senior citizen someone in a new phase of life, with specific needs and cares, it was not always verified, making it possible to believe that the rights of the elderly are still unknown by society and also themselves. The geriatrics and gerontology specialties and their new concepts have not reached, yet, all the senior caregivers or families. From that situation, there is the urgency of an educational process around the new paradigm that aims, among other things, to "pay a debt" to the senior citizen, rescuing the individual that modernity has relegated to a peripheral and invisible place.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/18267
Arquivos Descrição Formato
000727764.pdf (943.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.