Repositório Digital

A- A A+

Hemoglobina glicada (A1C) no diagnóstico do diabetes mellitus

.

Hemoglobina glicada (A1C) no diagnóstico do diabetes mellitus

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Hemoglobina glicada (A1C) no diagnóstico do diabetes mellitus
Autor Cavagnolli, Gabriela
Orientador Camargo, Joiza Lins
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Endocrinologia.
Assunto Diabetes mellitus
Hemoglobina A glicosilada
Hiperglicemia
Prevenção e controle
[en] Diagnostic performance
[en] Glycemic control
[en] HbA1C
[en] Hyperglycemia
Resumo O diabetes mellitus (DM) é uma doença que está associada com aumento da morbidade, mortalidade e custos econômicos. O DM tipo 2 é a forma de diabetes mais comum, acometendo 85%-90% de todos os casos. O mau controle glicêmico é um fator determinante do desenvolvimento e progressão das complicações do DM. A hemoglobina glicada (A1C) se tornou a medida de referência para o controle de DM por mais de duas décadas. Existe um grande incentivo, tanto da perspectiva de saúde pública quanto da clínica, em detectar pessoas com risco futuro de desenvolver DM2, pois este é um forte fator de risco para doença cardiovascular. Também existem evidências que é possível prevenir ou retardar o DM nas pessoas com tolerância a glicose diminuída, desde que estes casos sejam identificados e tratados adequadamente. Os testes disponíveis hoje para o diagnóstico do DM, glicemia de jejum (GJ) e teste oral de tolerância à glicose (TOTG), carecem de sensibilidade e/ou especificidade. Recentes estudos têm evidenciado que a A1C pode ser uma nova ferramenta para diagnóstico do DM, sendo que diversos pontos de corte tem sido estudados. Maiores investigações para a validação do desempenho diagnóstico deste teste na predição do DM são necessárias para podermos utilizar esta ferramenta com segurança na triagem e diagnóstico do DM.
Abstract Diabetes mellitus (DM) is a disease associated with greater mortality and economical costs. Type 2 DM is the commonest form of DM, accounting for 85-90 % of its cases. Glycemic levels are a determinant factor for the development and progression of DM complications. Glycated hemoglobin (A1C) became the reference measure of glycemic control for more than two decades. There is a great incentive in detecting persons with future risk of developing DM, because this is a strong risk factor for cardiovascular disease. Also there are evidences that it is possible to prevent or to delay DM in persons with prediabetes, since identified and treated appropriately. Available tests for DM diagnosis, fasting glycemia (FG) and oral glucose tolerance test (OGTT), lack sensibility and/or specificity. Recent studies have shown that A1C can be a new tool for DM diagnosis and several cutoff points have been analyzed. However, the validation of this test as diagnostic modality to detect DM might be necessary in order to provide a useful tool for DM diagnosis.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/18505
Arquivos Descrição Formato
000729116.pdf (305.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.