Repositório Digital

A- A A+

Perfil plasmático da ICAM-1 e da VCAM-1 no pós-operatório cardíaco de lactentes submetidos à circulação extracorpórea

.

Perfil plasmático da ICAM-1 e da VCAM-1 no pós-operatório cardíaco de lactentes submetidos à circulação extracorpórea

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Perfil plasmático da ICAM-1 e da VCAM-1 no pós-operatório cardíaco de lactentes submetidos à circulação extracorpórea
Autor Hunsche, Angela
Orientador Molossi, Silvana Maria
Data 2001
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Pediatria (até jan. 2009).
Assunto Cardiopatias congênitas
Circulação extracorpórea
Cirurgia
Cirurgia torácica
Lactente
Plasma
Resumo Introdução – Grande parte da população de crianças portadoras de defeitos cardíacos congênitos torna-se criticamente doente durante o primeiro ano de vida e necessita tratamento cirúrgico. No entanto, durante cirurgias cardíacas, ocorre uma resposta inflamatória intensa desencadeada pelo período de circulação extracorpórea (CEC), o que provoca disfunção de órgãos e tecidos. Os neutrófilos assumem um papel importante e complexo neste período, envolvendo a ligação às células endoteliais, ativação e liberação de mediadores inflamatórios. Esse processo é iniciado e mantido através de moléculas de adesão específicas, como a molécula de adesão intercelular-1 (ICAM-1) e a molécula de adesão celular-vascular-1 (VCAM-1). Formas solúveis destas moléculas apresentam variações de seus níveis durante cirurgias cardíacas com uso de CEC. Há poucos dados na literatura relacionados ao comportamento destas moléculas após cirurgia cardíaca com uso de CEC em lactentes, estando seu significado no plasma ainda por ser decifrado. Objetivos – Mensurar os níveis plasmáticos das moléculas de adesão solúveis ICAM-1 e VCAM-1 em condições basais e após exposição ao circuito de CEC em lactentes submetidos à cirurgia cardíaca para correção de defeitos cardíacos congênitos. Comparar os níveis plasmáticos destas moléculas entre pacientes acianóticos e cianóticos. Métodos – Foram estudados 21 lactentes, durante o período de junho de 1998 a março de 1999, submetidos à cirurgia cardíaca com uso de CEC. Foram analisados os níveis plasmáticos da ICAM-1 e da VCAM-1 solúveis pelo método de ELISA, na indução anestésica, ao término da CEC e 8 e 26 horas após o término da CEC. Resultados – As patologias cardíacas congênitas mais comuns foram defeito do septo atrioventricular e tetralogia de Fallot. As médias de idade e de peso foram 6,6 meses e 5,8 Kg. As medianas dos tempos de CEC e de clampeamento de aorta foram, respectivamente, 87 e 53 minutos. Todos os lactentes utilizaram inotrópicos. As medianas dos tempos de intubação e de internação foram 72 horas e 21 dias. A taxa de mortalidade dos pacientes foi de 9,5%. Os níveis basais da ICAM-1 e da VCAM-1 foram significativamente mais elevados do que aqueles considerados normais (P<0,0001). Os níveis da ICAM-1 diminuíram significaticamente ao término da CEC (P<0,001), voltando a aumentar significativamente 8 horas após o término deste período (P<0,005), sem no entanto, alcançar os valores basais 26 horas depois. A VCAM-1 apresentou comportamento semelhante. No entanto, 26 horas após CEC houve diminuição significativa de seus níveis em relação ao valor identificado 8 horas após tal período (P<0,005). Não houve diferença estatisticamente significativa quanto aos valores das moléculas entre pacientes acianóticos e cianóticos (P>0,1). Não houve associação entre os valores das moléculas e as variáveis perioperatórias e os desfechos clínicos. Conclusões – Os níveis plasmáticos das moléculas de adesão solúveis ICAM-1 e VCAM-1 são aumentados em lactentes com cardiopatias congênitas acianóticas e cianóticas no seu estado basal. Os níveis plasmáticos de ICAM-1 e VCAM-1 solúveis variam após exposição ao circuito de CEC em lactentes submetidos à cirurgia cardíaca para correção de cardiopatias congênitas, apresentando um comportamento característico nestes pacientes. Não há diferenças no comportamento das moléculas entre pacientes acianóticos e cianóticos.
Abstract Introduction – A large number of children presenting with congenital cardiac defects become critically ill in the first year of life and need definitive surgical treatment. Nevertheless, there is an intense inflammatory response as a result of cardiac surgery, triggered by the use of cardiopulmonary bypass (CPB), leading to organ and tissue injury. Neutrophils have an important and complex role during that period, promoting adherence to endothelial cells, release and activation of inflammatory mediators. This process is initiated and mantained by specific adhesion molecules, such as intercellular adhesion molecule-1 (ICAM-1) and vascular-cellular adhesion molecule-1 (VCAM-1). Soluble forms of these molecules present variable levels throughout cardiac surgeries with CPB. There is few information about the behaviour of these molecules after cardiac surgeries with CPB in infants, and the significance of these findings are yet to be unraveled. Objectives – To measure the soluble ICAM-1 e VCAM-1 plasmatic levels at baseline and after CPB exposure in infants undergoing cardiac surgery for repair of cardiac defects. To compare these molecules plasmatic levels in acyanotic and cyanotic patients. Methods – 21 infants undergoing cardiac surgery with CPB were studied, between June 1998 and March 1999. Soluble ICAM-1 and VCAM-1 plasmatic levels were measured using ELISA at induction of anesthesia, at the end of the CPB, and 8 hours and 26 hours after CPB. Results – Atrioventricular septal defects and tetralogy of Fallot were the most common congenital cardiac defects. The age and weight mean values were 6,6 months and 5,8 Kg. The median values of CPB time and aortic cross-clamping time were 87 minutes and 53 minutes. All infants used inotropic drugs. The median values of intubation time and hospitalization time were 72 hours and 21 days. The patients mortality rate was 9,5%. The baseline levels of ICAM-1 and VCAM-1 were higher than normal values (P<0,0001). The ICAM-1 levels significantly decreased at the end of CPB (P<0,001), significantly increasing 8 hours after that period (P<0,005), without reaching baseline values 26 hours after that. VCAM-1 presented a similar behaviour. Nevertheless, its levels decreased significantly 26 hours after CPB, compared with levels measured 8 hours after that period (P<0,005). There was no statistically significant difference in molecules levels in acyanotic and cyanotic patients (P>0,1). There was no significant association between molecules levels and perioperative variables or clinical endpoints. Conclusions – The soluble ICAM-1 and VCAM-1 baseline plasmatic levels are higher than normal in infants presenting acyanotic and cyanotic congenital cardiopathies. The soluble ICAM-1 and VCAM-1 plasmatic levels vary after CPB exposure in infants undergoing reparative congenital cardiac surgeries, presenting a characteristic behaviour in these patients. There are no differences in these molecules behaviour in acyanotic and cyanotic patients.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/1860
Arquivos Descrição Formato
000310725.pdf (1.052Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.