Repositório Digital

A- A A+

Determinação do consumo máximo de oxigênio e dos limiares ventilatórios de três exercícios de hidroginática em mulheres jovens

.

Determinação do consumo máximo de oxigênio e dos limiares ventilatórios de três exercícios de hidroginática em mulheres jovens

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Determinação do consumo máximo de oxigênio e dos limiares ventilatórios de três exercícios de hidroginática em mulheres jovens
Autor Antunes, Amanda Haberland
Orientador Kruel, Luiz Fernando Martins
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Fisiologia do exercício
Resumo O objetivo do presente estudo foi analisar e comparar as respostas cardiorrespiratórias máximas e correspondentes aos limiares ventilatórios (LV) na corrida em esteira terrestre (ET) e nos exercícios de hidroginástica de corrida estacionária (CE), deslize lateral (DL) e chute frontal a 45° (CF), e também comparar o índice de esforço percebido (IEP) e o percentual do consumo máximo de oxigênio (%VO2máx) correspondentes ao 1° e ao 2° LV. A amostra foi composta por nove mulheres jovens ativas e voluntárias que participaram de quatro sessões de testes máximos (ET, CE, CF e DL) em ordem randomizada. Para a coleta de frequência cardíaca (FC) foi utilizado um frequencímetro S610TM da marca POLAR, para a coleta do consumo de oxigênio (VO2) e da ventilação (Ve), um analisador de gases VO2000 da marca MedicGraphics e para coleta do IEP, uma Escala 6-20 de Borg. Utilizou-se ANOVA para medidas repetidas com post-hoc de Bonferroni, adotando-se α<0,05 (SPSS v.13.0). As análises demonstraram que, com relação aos valores máximos de VO2 (p<0,001) e FC (p=0,016), as respostas foram significativamente maiores para ET, seguida de CE e CF, que não apresentaram diferenças entre si, e menores para o DL. Já a Ve máxima (p<0,001) não apresentou diferenças entre ET, CE e CF, mas seus valores foram maiores do que para DL. Com relação aos valores no 1° e 2° LV, o comportamento da variável VO2 (p<0,001) apresentou respostas maiores para ET, seguidos de CE e CF, que foram maiores que DL. Os valores de %VO2 nos limiares (1° LV: p=0,099; 2° LV: p=0,131) não foram significativamente diferentes entre os exercícios. Também as respostas de IEP não diferiram entre os exercícios no 1° nem no 2° LV (p=0,275 e p=0,477, respectivamente), o mesmo sendo observado para as cadências nas quais ocorreram os limiares ventilatórios (1° LV: p=0,880; 2° LV: p=0,231). Foi observado que os exercícios aquáticos apresentaram valores cardiorrespiratórios máximos menores que na ET. No entanto, independente do exercício (ET, CE, DL ou CF), se este for prescrito em percentuais dos limiares ventilatórios ou através de índice de esforço percebido a intensidade será a mesma.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/18896
Arquivos Descrição Formato
000732286.pdf (688.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.