Repositório Digital

A- A A+

O ganho de força e flexibilidade em um paciente com síndrome pós-poliomielite após um treinamento de seis meses : um estudo de caso

.

O ganho de força e flexibilidade em um paciente com síndrome pós-poliomielite após um treinamento de seis meses : um estudo de caso

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O ganho de força e flexibilidade em um paciente com síndrome pós-poliomielite após um treinamento de seis meses : um estudo de caso
Autor Migliorin, Ariane Pereira
Orientador D'Azevedo, Helena Alves
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Licenciatura.
Assunto Flexibilidade
Força
[en] Flexibility
[en] Post-poliomyelitis syndrome
[en] Strength
Resumo A Síndrome Pós-Poliomielite (SPP) é uma desordem do sistema nervoso que se manifesta em indivíduos que tiveram poliomielite, após, em média, 15 anos ou mais, gerando uma série de problemas neuro-motores. Programas de exercícios físicos direcionados para esse grupo ainda provocam controvérsias. O único consenso está relacionado à intensidade, frequência e duração das atividades físicas. Com o objetivo de esclarecer a possibilidade de um indivíduo com SPP, com sequelas em membro inferior, obter um ganho de força muscular de membro inferior direito e flexibilidade após uma aplicação de atividades físicas específicas por seis meses, foi feita esta pesquisa. A amostra é composta por 1 pessoa, do sexo masculino, portador de SPP desde os seus 6 anos, com 57 anos de idade que pratica Jogging Aquático na Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EsEF/UFRGS) duas vezes por semana e realiza aulas personalizadas de Alongamento e Ginástica Localizada uma vez por semana, também, ministradas na Escola de Educação Física em uma sala de atividades múltiplas. Trata-se de uma pesquisa de cunho quantitativo com características de um estudo de caso, aonde, através das aulas com pré e pós teste antes e após o trabalho ser ministrado, será possível coletar dados sobre o desenvolvimento da força e flexibilidade. Para a realização da pesquisa foi utilizado o Flexiteste proposto por Pavel e Araújo (1980) e adaptado por Farinatti & Monteiro (1992) para mensurar o nível de flexibilidade. Já, para a mensuração da força, foi realizado o teste de uma repetição máxima (1RM) em extensão de joelho unilateral direito. Esses testes foram realizados uma vez ao mês durante o período de seis meses. Após o término dos testes foi possível verificar que o avaliado iniciou as atividades com um nível de flexibilidade médio negativo e após os seis meses progrediu para o nível de flexibilidade grande. Quanto ao trabalho de força, o avaliado aumentou 100% a resposta ao teste de 1RM em extensão de joelho unilateral direita. Concluindo-se que é possível, sim, uma pessoa portadora de SSP aumentar sua flexibilidade e força em membros com sequelas da doença. Lembrando, que além de todas essas respostas positivas tivemos a melhora na qualidade de vida e auto-estima do avaliado.
Abstract Post-Poliomyelitis Syndrome (PPS) is a nervous system disorder that affects individuals who had polio. The symptoms usually appear 15 years after the original infection and create a series of neuromotor problems. Physical exercises programmed for this group are still controversial, and researches relate intensity, frequency and duration in physical activities. The aim of this study is to verify the gain of muscular strength of the right lower limb as well as flexibility in an individual with PPS after sessions of physical exercises during 6 months. The sample is composed of 1 person, male, 57 years old, with PPS since the age of 6. The man practices Water Jogging twice a week in Programa de Extensão de Educação Física in Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ESEF/UFRGS), and does stretching and localized gymnastics once a week in a multiple activity room in the same institution. This research is quantitative and qualitative with aspects of case study. During the pre-test and post-test, which happened in training sessions 3 times a week for 6 months, data about the development of strength and flexibility was collected. In order to assess the level of flexibility, it was used Flexitest by Pavel e Araújo (1980) and adapted by Farinatti & Monteiro (1992). In order to measure strength, the maximum repetition test (1RM) was used along the right unilateral knee extension. These tests were done once a month for 6 months. After the end of the tests it was possible to verify that the participant started his exercises with negative medium level of flexibility and after six months improved to a high level of flexibility (Farinatti & Monteiro, 1992). The participant also increased 100% the response to the 1RM test in right unilateral knee extension. In conclusion, this study indicates that a person with PPS can improve his/her flexibility and strength in the areas achieved by the disease. Also, it is important to highlight that the quality of life and self-esteem of the participant improved.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/18905
Arquivos Descrição Formato
000732698.pdf (445.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.