Digital Repository

A- A A+

O desempenho de idosos praticantes de hidroginástica e idosos não praticantes de exercícios físico nos testes de trilhas e nas tarefas de fluência verbal

DSpace/Manakin Repository

O desempenho de idosos praticantes de hidroginástica e idosos não praticantes de exercícios físico nos testes de trilhas e nas tarefas de fluência verbal

Show full item record

Statistics

Title O desempenho de idosos praticantes de hidroginástica e idosos não praticantes de exercícios físico nos testes de trilhas e nas tarefas de fluência verbal
Author Petry, Diogo Miranda
Advisor Goncalves, Clezio Jose dos Santos
Date 2009
Level Graduation
Institution Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Curso de Educação Física: Bacharelado.
Subject Hidroginastica
Abstract in Portuguese O envelhecimento populacional está acontecendo mundialmente. E durante essa fase do ciclo de vida a capacidade funcional e cognitiva vão tendo um declínio, podendo diminuir a qualidade de vida. A perda de autonomia e independência pode ocorrer nos idosos, principalmente, através de doenças crônico-degenerativas. Algumas funções cognitivas vão diminuindo no envelhecimento, podendo levar a demência. O exercício físico é conhecido como um método de intervenção eficaz na prevenção de muitas patologias. Só nas últimas décadas que os cientistas estão correlacionando a prática de exercício físico com a melhora das funções cognitivas. Objetivo deste trabalho é comparar idosas que praticam hidroginástica com idosas que não realizam exercício físico no desempenho de testes neuropsicológico. Metodologia: Foi comparado dois grupos de idosos, primeiro foi idosos praticante de hidroginástica do projeto CELARI com a média de pratica de 6,8 anos (DP = 4,1). O segundo foi as idosas não praticantes de exercício físico. Para seleção e caracterização dos grupos utilizou-se Questionário sociodemográfico, aspectos gerais de saúde e escala de hábitos de leitura escrita, Mini-Exame de Estado Mental (MEEM) e Escala de Depressão de Yesavage - GDS-30. Para avaliar o desempenho das funções executivas foi realizado o Testes de Trilhas e a Tarefas de Fluência Verbal. Para análise estatístico dos dados foi utilizado Shapiro-whilk para normatização dos dados. Utilizou-se o teste de t Student e U-Mann Whitney para comparar duas médias de amostras independente . Resultados: Verificou-se que os dados como idade, escolaridade, hábitos de escrita, de leitura e totais, MEEM, GDS – 30, não houve diferença entre os grupos. Nos Testes de Trilhas parte A não foi evidenciado diferença estatisticamente significativa, mas no Testes de Trilhas parte B, os grupo de hidroginástica foram melhores do que o grupo não praticante de exercício físico, com o p = 0,015. Na Tarefa de Fluência Verbal critério livre, foi significativa a diferença no desempenho entre os grupos, o grupo de hidroginástica conseguir citar mais palavras em relação ao outro grupo. Na Tarefa de Fluência Verbal critério Ortográfico e Semântico, não houve diferença significativa entre os grupos. Embora as médias nas avaliações da função executiva foram maiores, a favor do grupo de hidroginástica, somente em dois testes houve diferença estatisticamente significativo. Podemos concluir que a prática de hidroginástica pode contribuir para a melhora das funções executivas, embora os mecanismos desse benefício não estão claros.
Type Work completion of graduation
URI http://hdl.handle.net/10183/18918
Files Description Format View
000732055.pdf (271.3Kb) Texto completo Adobe PDF View/Open

This item is licensed under a Creative Commons License

This item appears in the following Collection(s)


Show full item record

Browse



  • The author is the owner of the copyrights of the documents available in this repository and is prohibited under the law, the marketing of any kind without prior authorization.
    Graphic design by Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.