Repositório Digital

A- A A+

Calciúria na doença hipertensiva da gestação

.

Calciúria na doença hipertensiva da gestação

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Calciúria na doença hipertensiva da gestação
Autor Gasnier, Rose
Orientador Ramos, José Geraldo Lopes
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Gravidez
Hipertensão
Hipertensão induzida pela gravidez
Pré-eclâmpsia
Resumo Introdução: A hipocalciúria tem sido relacionada com a pré-eclâmpsia, sendo marcador da presença e da severidade da doença. A relação cálcio/creatinina em amostra aleatória de urina parece estimar corretamente os níveis em 24 horas, sendo um exame de fácil realização. Métodos: Realizado estudo caso controle incluindo gestantes com pré-eclâmpsia leve e grave, hipertensas crônicas e controles normotensas, com 14 pacientes em cada grupo. Resultados: Em relação aos níveis de calciúria em 24 horas, houve diferença significativa entre os grupos comparando pré-eclâmpsia grave e hipertensas crônicas e pré-eclâmpsia grave e gestações normais (p < 0.0001). As medianas da calciúria foram 81.5 mg/24h para pré-eclâmpsia grave, 118 mg/24h para préeclâmpsia leve, 226 mg/24h para hipertensas crônicas e 272 mg/24h para controles. O melhor ponto de corte, na curva ROC, foi 167 mg/24h, com sensibilidade, especificidade, valores preditivos positivo e negativo de 75%, 85%, 80% e 84%, respectivamente. Os desfechos maternos e fetais foram mais severos a medida que a calciúria diminuía. Analisando as relações cálcio/creatinina realizadas, houve diferença significativa entre pré-eclâmpsia grave e hipertensas crônicas, pré-eclâmpsia grave e controles, e até mesmo entre pré-eclâmpsia leve e grave (p < 0.0001). As medianas foram 0.0108 mg/mg para pré-eclâmpsia grave, 0.05 mg/mg para pré-eclâmpsia leve, 0.14 mg/mg para hipertensas crônicas e 0.0995 mg/mg para controles. A correlação de Spearman com a medida em 24h foi de 0.65. O melhor ponto de corte, na curva ROC, foi 0.053 mg/mg, com sensibilidade, especificidade, valores preditivos positivo e negativo de 70%, 85%, 80% e 74%, . Os índices de resistência das artérias uterinas, ao exame Doppler, foram maiores à medida que a relação cálcio/creatinina era menor. Conclusão: A hipocalciúria pode diferenciar entre pré-eclâmpsia grave e hipertensão crônica, sendo também marcador da doença. A relação cálcio/creatinina pode estimar a calciúria em 24h, diferenciando a paciente com pré-eclâmpsia grave de outras formas de hipertensão na gestação.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/19015
Arquivos Descrição Formato
000733087.pdf (330.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.