Repositório Digital

A- A A+

Acesso a atendimento médico continuado : uma estratégia para reduzir a utilização de consultas não urgentes em serviços de emergência

.

Acesso a atendimento médico continuado : uma estratégia para reduzir a utilização de consultas não urgentes em serviços de emergência

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Acesso a atendimento médico continuado : uma estratégia para reduzir a utilização de consultas não urgentes em serviços de emergência
Autor Stein, Airton Tetelbom
Orientador Busnello, Ellis Alindo D'Arrigo
Co-orientador Duncan, Bruce Bartholow
Data 1998
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Clínica Médica.
Assunto Acesso aos serviços de saúde
Continuidade da assistência ao paciente
Revisão da utilização de recursos em saúde
Serviço hospitalar de emergência : Utilização
Resumo A utilização de uma emergência por pacientes com problemas médicos eletivos contribui para a demanda excessiva e impede de acesso a pacientes com emergência verdadeira. O presente estudo se propôs: (1) investigar as características do usuário da emergência em relação a aspectos demográficos, local de moradia e tempo que apresenta os sintomas que o levaram a consultar; (2) identificar as diferenças da demanda entre o final de semana e durante a semana; (3) investigar a prevalência de saúde mental, alcoolismo, doença coronariana e hipertensão; (4) avaliar como é a utilização e o acesso a serviços de saúde para pacientes que referem ter um médico definido em comparação com quem refere não ter; (5) avaliar a satisfação dos pacientes com o atendimento na emergência e (6) verificar se o atendimento através de um médico definido ou em serviço de atenção primária em saúde diminui o afluxo de casos não urgentes aos serviços de emergência. Foi realizado um estudo transversal na Emergência do Hospital N.S. da Conceição de Porto Alegre (RS) no período de 6 de janeiro a 25 de junho de 1996, tendo sido incluídos 20 dias escolhidos entre o meio-dia de sábado e o meio-dia de domingo, para caracterizar a demanda do final de semana, e o meio-dia de segunda-feira e meio-dia de terça-feira, para a dos outros dias. Fizeram parte da amostra 553 pacientes selecionados através de amostragem aleatória sistemática, com uma taxa de resposta de 88%. A coleta de dados consistiu de questionário de 156 questões aplicado aos pacientes. O registro e análise dos dados foram realizados utilizando-se os programas Epi-Info, EGRET e SPSS. As análises incluíram tabulações simples para determinação de prevalência das condições investigadas e regressão logística para avaliar o efeito conjunto das variáveis independentes sobre cada uma das variáveis dependentes. A população que freqüenta a emergência do HNSC é composta de jovens, predominantemente do sexo feminino, mora em Porto Alegre (especialmente, no bairro Sarandi) e na Grande Porto Alegre (especialmente, Alvorada), desloca-se preferencialmente de ônibus até o serviço de emergência, vem acompanhada, na maioria das vezes, de algum familiar, e a maioria decide consultar por iniciativa própria ou por indicação de algum familiar. Os homens internam com maior freqüência. Os serviços de atenção primária representaram 23% do atendimento habitual dos pacientes. As consultas foram definidas pelos emergencistas como de emergência em 15% dos casos, de urgência em 46%, e programáveis em 39% poderiam ser programadas. A prevalência de hipertensão foi 19%; de angina, 13%; de alcoolismo, 16%; de problema psiquiátrico menor, 32% entre os homens e 51% entre as mulheres (p< 0,0001). Como desfecho da consulta, 73% dos pacientes foram encaminhados para o domicílio ou para um serviço especializado, 10% foram para sala de observação e para apenas 5% foi indicada a internação. A maioria dos pacientes referiram estar satisfeitos com o atendimento. Os que consultaram no final de semana apresentaram, em média, um tempo menor de sintomas até decidir consultar, um menor tempo de deslocamento até o serviço de emergência, maior satisfação, média de idade maior, maior proporção de moradores de Porto Alegre e foram levados de carro até a emergência mais do que aqueles que consultaram durante a semana. O modelo de regressão logística identificou as variáveis independentes determinantes de ter um médico definido: consulta habitual em atenção primária em saúde (RC=3,22 IC95%=2,04-5,09), consulta definida como emergência ou urgência (RC=2,46 IC95%=1,55-3,92) e afastamento do trabalho (RC=1,59 IC95%= 1,03-2,45). Este resultado demonstra que o paciente que habitualmente consulta em serviços de atenção primária tem mais probabilidade para ter a continuidade no atendimento. A consulta ser de emergência ou de urgência apresentou associação significativa com as seguintes variáveis independentes, após ser colocada num modelo de regressão logística: pacientes internados ou em observação (RC=5,80 IC95%=3,33-10,17), costume de consultar com o mesmo médico (RC=2,98 IC95%=1,84-4,80) e ida de carro até a emergência (RC=2,67 IC95%=1,75-4,05). A variável hábito de consultar em serviço de atenção primária deixou de ficar estatisticamente significativa ao ser colocada no modelo de regressão logística. Este resultado revela que pacientes com médico definido têm três vezes mais chances de consultar por um problema de emergência no serviço de emergência do que aqueles que não têm um médico definido. Assim, uma estratégia para reduzir a ocorrência de consultas não urgentes em serviços de emergência é o paciente ter tal vínculo. No entanto, aqueles pacientes que referiram o posto de saúde como local onde habitualmente consultam não evitam, necessariamente, a utilização de um serviço de emergência por motivo considerado como programável. É necessário otimizar o atendimento de pacientes com problemas não urgentes que chegam à emergência através de estratégias no nível de atenção primária – especialmente possibilitando o atendimento médico continuado -, onde uma abordagem integral com ênfase na prevenção garanta um atendimento de melhor qualidade e custo menor.
Abstract The use of an emergency service by patients with elective medical problems contributes to their experiencing an excessive demand, which in turn acts as a barrier to the access of patients who face a real situation of emergency. The objectives of this study were, first, to investigate the user´s characteristics with regards to demographic aspects, place of residence, time interval between the onset of a problem and the actual decision to go to the emergency room. Second, to identify the differences in the demand for these services between the weekend and weekdays; third, to investigate the prevalence of the following conditions: mental health, alcoholism, coronary heart disease and hypertension; fourth, to evaluate the use and the access to health services by patients who report having a personal doctor in comparison with those who do not; fifth, to evaluate the satisfaction of patients who consult at emergency rooms; and finally, to evaluate whether a personal doctor providing health care or access to a primary health care service decreases the flow of non- urgent cases at emergency services. A cross-sectional study was carried out at the emergency room of Conceição Hospital in Porto Alegre (RS); the periods selected were from Saturday 12:00 PM to Sunday 12:00 PM and from Monday 12:00 PM to Tuesday 12:00 PM. The study took place from January 6th to June 25th 1996, 20 days in all, and 553 patients were selected through a systematic random sampling, and the answer rate was 88%. The data collection consisted of a questionnaire with 156 questions. The data entry and analysis were performed using the softwares Epi-Info, EGRET and SPSS. The analysis included simple statistics to determine the prevalence of the conditions being investigated and the effect of the independent variables in relation to each of the dependent ones through logistic regression. The population who used the emergency of Conceição Hospital comprised young, females who live in Porto Alegre (most of them from the Sarandi neighborhood) or in the metropolitan area of Porto Alegre (mostly from Alvorada); they go to the emergency room by bus, most times with a relative, and decide to seek consultation out of their own free will or by indication of someone from their family. On the other hand, men needed to be hospitalized more frequently. Primary health care services represented 23% of the usual care of those patients who went to the Conceição emergency room. The consultations were split as 15% emergency cases, 46% urgency ones and 39% elective ones. Hypertension came first with 19%, angina represented 13%, and alcoholism 16%. Minor psychiatric problems represented 32% among men and 51% among women (p < 0.0001). The outcome of the consultation showed that 73% of patients were referred to their homes or to a specialist service, 10% stayed in the observation room and only 5% were hospitalized. The majority of the patients who used the emergency service reported being pleased with the care provided, specially those who were classified as an emergency or urgency case. Those patients who consulted during the weekend presented, on average, a shorter time span between the onset of symptoms and the decision to consult, a shorter period of time to reach the emergency service, a higher degree of satisfaction, were older on average, a larger number lived in Porto Alegre and were taken by car to the emergency room more frequently than those who consulted during weekdays. Using a logistic regression model, the following independent variables were identified, as being determinants of having a personal physician: patients usually consult primary health care services (OR=3.22 CI95%=2.04-5.09), the consultation was defined as an emergency or urgency case (OR=2.46 CI95%=1.55-3.92) and they did not go to work due to their health problems (OR=1.59 CI95%=1.03-2.45). This result demonstrated that when the patient usually consults at a primary health care service he/she has a higher probability of developing a continuity of care. The consultation defined as an emergency or an urgency case exhibited a significant statistical association with the following independent variables, after being analysed by a logistic regression model: patients who were referred to the hospital or the observation room (OR=5.80 CI95%=3.33-10.17), patients who usually consult with the same physician (OR=2.98 CI95%=1.84-4.80) and patients who go to the emergency room by car (OR=2.67 CI95%=1.75-4.05). The variable patients who usually consults at the primary health care service was not shown to be statistically significant after inclusion in a logistic regression model. This result leads to the conclusion that those patients who had a personal physician are three times as likely to consult with an actual emergency problem at the emergency room than those who do not have their personal physician. In other words, a strategy to reduce the number of nonurgent consultations at emergency rooms is to establish a close relationship between patient and physician. However, those patients who reported that the place where they usually sought consultation was the community care centre do not necessarily avoid using an emergency service when the reason was defined as an elective consultation. There is a need to optimize the health care of patients who have nonurgent problems but still seek the emergency room through strategies at the primary health care level – specially when continuous care is available – and where a comprehensive approach with an emphasis on prevention would stimulate better quality of care at a lower cost.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/1919
Arquivos Descrição Formato
000223165.pdf (1.824Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.