Repositório Digital

A- A A+

Biópsia endomiocárdica prediz a recuperação da função ventricular após cirurgia de revascularização do miocárdio

.

Biópsia endomiocárdica prediz a recuperação da função ventricular após cirurgia de revascularização do miocárdio

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Biópsia endomiocárdica prediz a recuperação da função ventricular após cirurgia de revascularização do miocárdio
Outro título Endomyocardial biopsy fortells ventricular function recovery after coronary artery bypass grafting
Autor Moreno, Paulo Lavaniere de Azevedo
Wender, Orlando Carlos Belmonte
Barra, Marinez
Pellanda, Lucia Campos
Rohde, Luis Eduardo Paim
Clausell, Nadine Oliveira
Resumo Objetivo Pacientes com insuficiência cardíaca isquêmica podem ser beneficiados com a cirurgia de revascularização do miocárdio. Foram estudadas as variáveis histopatológicas que estariam associadas à melhora da fração de ejeção seis meses após a cirurgia. Métodos Em 24 pacientes estudados com indicação de cirurgia de revascularização do miocárdio, fração de ejeção < 35%, classe funcional de insuficiência cardíaca II-IV e idades entre 59 ± 9 anos, foram realizadas biópsias endomiocárdicas no transoperatório e seis meses após. Extensão de fibrose, número de células apresentando miocitólise e hipertrofia da fibra muscular foram quantificados por um sistema analisador de imagem. Revisão clínica e funcional foi repetida em seis meses. Resultados Houve melhora significativa da classe funcional de insuficiência cardíaca em 16 pacientes após os seis meses de acompanhamento (classe NYHA 2,8± 0,7 para 1,7±0,6; p <0,001), enquanto a fração de ejeção não se alterou (25 ± 6% vs. 26 ± 10%). Hipertrofia da fibra muscular foi similar nos espécimes biopsiados no pré e no pós operatório (21±4 vs. 22±4 μm), enquanto que a extensão de fibrose (8±8 vs. 21±15% área) e células apresentando miocitólise (9±11 vs. 21±15% cel) aumentaram significativamente. No entanto, a composição de um escore histológico, combinando as três variáveis, indicou maior incremento na função ventricular naqueles que apresentavam menor grau de alterações histopatológicas no pré-operatório. Conclusão Portadores de miocardiopatia isquêmica, submetidos à revascularização do miocárdio, apresentaram melhora da função ventricular quando as alterações histopatológicas adversas do pré-operatório foram de menor grau.
Contido em Arquivos brasileiros de cardiologia. São Paulo. Vol. 83, n. 5 (nov. 2005), p. 373-378
Assunto Biópsia
Insuficiência cardíaca
Revascularização miocárdica
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/20002
Arquivos Descrição Formato
000487111.pdf (174.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.