Repositório Digital

A- A A+

Efetividade do Metoprolol na prevenção de fibrilação e flutter atrial no pós-operatório de cirurgia de revacularização miocárdica

.

Efetividade do Metoprolol na prevenção de fibrilação e flutter atrial no pós-operatório de cirurgia de revacularização miocárdica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efetividade do Metoprolol na prevenção de fibrilação e flutter atrial no pós-operatório de cirurgia de revacularização miocárdica
Outro título Effectiveness of Metoprolol in preventing atrial fibrillation and flutter in the postoperative period of coronary artery bypass surgery
Autor Lúcio, Eraldo de Azevedo
Flores, Adriana
Blacher, Celso
Leães, Paulo Ernesto
Lucchese, Fernando Antonio
Ribeiro, Jorge Pinto
Resumo Objetivo - Avaliar a efetividade do metoprolol na prevenção de fibrilação e flutter atrial clinicamente detectáveis após cirurgia de revascularização miocárdica. Métodos - Ensaio clínico, randomizado e aberto, para tratar 200 pacientes submetidos à cirurgia de revascularização miocárdica isolada com circulação extracorpórea, randomizados para receber metoprolol, por via oral, ou para não receber a medicação no pós-operatório. Os desfechos de interesse eram a detecção de fibrilação e flutter atrial sustentados, sintomáticos ou que requeressem tratamento. Excluídos do estudo os pacientes com fração de ejeção basal do ventrículo esquerdo < 35%, fibrilação atrial prévia, história de broncoespasmo, bloqueios atrioventriculares de 2o e 3o grau, baixo débito cardíaco e insuficiência cardíaca. Resultados - Arritmias ocorreram em 11 de 100 pacientes do grupo metoprolol e em 24 de 100 pacientes do grupo controle (p=0,02). O risco relativo (RR) foi 0,46 (IC de 95%= 0,24-0,88) e o número necessário para tratar (NNT) e evitar o desfecho foi de 8 pacientes. A fibrilação atrial foi a arritmia mais freqüentemente observada (30/ 35). Em 38 pacientes com idade ≥ 70 anos, as arritmias ocorreram em 2 de 19 pacientes do grupo metoprolol e em 10 de 19 do grupo controle (χ2 Yates: p=0,01). O risco relativo foi 0,20 (IC de 95%= 0,05-0,79) e o número necessário para tratar foi de 2 pacientes. Conclusão - O metoprolol é efetivo na prevenção de fibrilação e flutter atrial no PO de cirurgia de revascularização miocárdica, sendo esse efeito mais marcante no grupo de pacientes idosos.
Contido em Arquivos brasileiros de cardiologia. São Paulo. Vol. 82, n. 1 (jan. 2004), p. 37-41
Assunto Fibrilação atrial
Metoprolol
Revascularização miocárdica : Reabilitação
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/20003
Arquivos Descrição Formato
000487137.pdf (159.6Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.