Repositório Digital

A- A A+

Sexual size dimorphism in Myotis nigricans (Schinz, 1821) (Chiroptera: Vespertilionidae) from south Brazil

.

Sexual size dimorphism in Myotis nigricans (Schinz, 1821) (Chiroptera: Vespertilionidae) from south Brazil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Sexual size dimorphism in Myotis nigricans (Schinz, 1821) (Chiroptera: Vespertilionidae) from south Brazil
Outro título Dimorfismo sexual no tamanho do crânio de Myotis nigricans (Schinz, 1821) (Chiroptera: Vespertilionidae) no sul do Brasil
Autor Bornholdt, Renata
Oliveira, Larissa Rosa de
Fabian, Marta Elena
Resumo Entre as espécies de Vespertilionidae, o dimorfismo sexual, no qual as fêmeas são maiores que os machos, é bem documentado. As diferenças aparecem principalmente no peso do corpo, nas medidas cranianas e no comprimento do antebraço. Estudos têm discutido algumas hipóteses para este fenômeno. Contudo, poucas são as informações conhecidas sobre dimorfismo sexual de tamanho para a espécie Myotis nigricans (Schinz, 1821) no Brasil. O objetivo deste artigo é apresentar um estudo deste fenômeno na espécie. Para isso, apresentamos uma análise quantitativa do dimorfismo sexual através da morfometria tradicional, no qual 10 medidas cranianas e o comprimento do antebraço foram tomados. Resultados da morfometria tradicional revelaram dimorfismo sexual em cinco das dez medidas cranianas e no comprimento do antebraço. Em todas as medidas, as fêmeas foram maiores que os machos. As diferenças podem ser atribuídas à seleção natural, favorecendo tamanho maior para as fêmeas para aumentar a fecundidade. Fêmeas da família Vespertilionidae são geralmente maiores a fim de desempenhar adequadamente o cuidado parental e prover processo reprodutivo com sucesso.
Abstract Among Vespertilionidae species, sexual size dimorphism is very well documented, in which females are larger than males. The differences are mainly in body weight, skull measurements and forearm length. Studies have discussed some hypothesis for this phenomenon. However, very little information is known about sexual size dimorphism in Myotis nigricans (Schinz, 1821) in Brazil. In this sense, the goal of this paper is to present a study of this phenomenon in the species. For this, we present a quantitative analysis of sexual size dimorphism assessed by traditional morphometrics. Ten skull measurements in addition to the forearm length of adult specimens were taken. Results of traditional morphometrics revealed sexual size dimorphism in five skull measurements and in the forearm length. Females were larger than males. These differences can be attributed to natural selection on large female size for increase fecundity. Bat females of the Vespertilionidae family are usually larger than males in order to perform parental care appropriately and to provide a successful reproductive process.
Contido em Brazilian journal of biology. São Carlos, SP. Vol. 68, no. 4 (Nov. 2008), p. 897-904
Assunto Brasil, Região Sul
Crânio
Dimorfismo sexual
Morfologia animal
Morfometria
Myotis nigricans
[en] Chiroptera
[en] Morphometrics
[en] Myotis nigricans
[en] Sexual size dimorphism
[en] Vespertilionidae
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/20738
Arquivos Descrição Formato
000687414.pdf (569.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.