Repositório Digital

A- A A+

Um estudo sobre produtividade derivacional no português falado no sul do Brasil

.

Um estudo sobre produtividade derivacional no português falado no sul do Brasil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Um estudo sobre produtividade derivacional no português falado no sul do Brasil
Autor Grodt, Aline
Orientador Schwindt, Luiz Carlos da Silva
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Análise lingüística
Brasil, Região Sul
Fonologia
Linguagem e línguas
Língua portuguesa
Morfologia lexical
Resumo O presente trabalho propõe-se discutir o fenômeno da derivação, na perspectiva de sua produtividade no português brasileiro, em especial, os processos de derivação prefixal, sufixal e parassintética. É nosso objetivo geral tentar descrever, na medida do alcance deste trabalho, a gramática subjacente dos falantes do português brasileiro, no que tange à produtividade derivacional. Nosso estudo norteia-se pelas seguintes questões: (i) quais as categorias de base que são preferencialmente selecionadas nos processos de derivação aqui estudados? (ii) quais as formas derivadas que são mais produtivas? É nossa intenção verificar também as seguintes hipóteses presentes na literatura: (i) a sufixação é mais produtiva do que a prefixação, uma vez que pode mudar a categoria lexical do produto em relação à base; e (ii) dentro da sufixação, o processo de nominalização (que transforma verbos em substantivos) é o mais produtivo. Como objetivos específicos, procuramos apresentar uma regra de formação de palavras para cada tipo de produto encontrado em nossos dados e confrontar os resultados com a literatura existente sobre o assunto. Os dados foram coletados de entrevistas da cidade de Porto Alegre pertencentes ao banco do Projeto VARSUL (Variação Linguística Urbana da Região Sul). Os afixos escolhidos para nossa análise foram selecionados tendo como ponto de partida o trabalho de Sandmann (1989), que verificou produtividade de palavras novas em textos escritos da época. A análise do corpus se fez à luz da Morfologia Lexical (Aronoff, 1976; Basilio, 1980, entre outros). A Fonologia e Morfologia Lexical (Kiparsky, 1982, 1985) foi necessária também para descrever os casos de parassíntese. Foram encontradas 2.165 ocorrências dos afixos estudados, 285 de prefixos e 1.880 de sufixos . Em relação aos tipos de formação, a base preferencialmente selecionada foi a verbal, seguida pela substantiva e pela adjetiva. O produto que obteve o maior número de formações foi a categoria substantivo, seguida pelo adjetivo e, por fim, pelo verbo. A formação de substantivos a partir de verbos foi a mais produtiva, corroborando a hipótese presente na literatura de que a nominalização é o processo de formação de palavras mais recorrente.
Abstract This work aims to discuss the derivational phenomenon, anchored in its productivity in Brazilian Portuguese, specially, the prefixal, suffixal and parasynthetic processes. It is our objective trying to describe, in the limits of this project, the underlying grammar of Brazilian Portuguese speakers, in what concerns derivational productivity. Our study is guided by the following questions: (i) which are the preferably selected base categories in the derivational processes here studied? (ii) which are the most productive derivational products? We also intend to verify the following hypotheses present in the literature: (i) the suffixation is more productive than the prefixation, once it can change the product category in relation to the base category; and (ii) within suffixation, the nominalization process (which forms nouns from verbs) is the most productive process. As specific objectives, we seek to present a word formation rule (WFR) to every type of product we have found in our data and confront the results to the literature about the subject. The data were collected from VARSUL (Variação Linguística Urbana da Região Sul). The selected affixes were taken from Sandmann (1989) analysis, which verified productivity of neologisms in written language. The corpus was analyzed according to Lexical Morphology Theory (Aronoff, 1976; Basilio, 1980, within others). Lexical Phonology and Morphology (Kiparsky, 1982, 1985) was used to describe cases of parasynthesis. We found 2.165 occurrences of the affixes studied, 285 were prefixes and 1.880 were suffixes. In relation to the types of formation, the base preferentially selected was the verb, followed by the noun and, ultimately, by the adjective. The category of product that was mostly productive was the noun, formed from verbs, what reinforces the hypothesis present in the literature that the nominalization is the most productive word formation process.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/21581
Arquivos Descrição Formato
000736124.pdf (568.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.