Repositório Digital

A- A A+

Distrair-se do mundo é estar doente dos olhos : a impossibilidade do lógico em Jorge Luis Borges e Albreto Caeiro

.

Distrair-se do mundo é estar doente dos olhos : a impossibilidade do lógico em Jorge Luis Borges e Albreto Caeiro

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Distrair-se do mundo é estar doente dos olhos : a impossibilidade do lógico em Jorge Luis Borges e Albreto Caeiro
Autor Fialho, Guilherme Fioravanti
Orientador Tutikian, Jane Fraga
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Português e Literatura Portuguesa: Licenciatura.
Assunto Borges, Jorge Luís 1899-1986.
Caeiro, Alberto
Metafísica
Resumo Este trabalho pretende traçar um paralelo entre dois autores, ambos inseridos na modernidade: Jorge Luis Borges e Fernando Pessoa, mais especificamente, entre o conto de Borges Funes, o memorioso e a obra O guardador de rebanhos, de Alberto Caeiro, um dos heterônimos pessoanos. Para tanto, lança mão de teorias formuladas inicialmente por Friedrich Nietzsche e retomados pelos pós-estruturalistas, em especial o francês Michel Foucault. Essas teorias dizem respeito ao lógico e à metafísica, melhor dizendo, à negação de ambas. Assim, o que tentamos foi mostrar como essa negação está representada nas duas obras analisadas, o que provoca, em ambas, a impossibilidade de surgimento do lógico. Tentamos, ainda, mostrar o contraste que há entre a postura do personagem central e a do narrador, no conto de Borges, e entre a postura de Alberto Caeiro e o processo racional que originou a heteronímia.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/21630
Arquivos Descrição Formato
000737831.pdf (99.03Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.