Repositório Digital

A- A A+

A estrutura e o uso da parassíntese no português

.

A estrutura e o uso da parassíntese no português

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A estrutura e o uso da parassíntese no português
Autor Quadros, Emanuel Souza de
Orientador Schwindt, Luiz Carlos da Silva
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Curso de Letras: Licenciatura.
Assunto Parassíntese
[en] Binary branching
[en] Circumfixation
[en] Parasynthesis
[en] Productivity
Resumo O presente trabalho tem como objetivo explorar a estrutura da parassíntese do português e examinar a produtividade desse processo em um corpus de textos escritos. Quanto a caracterização do processo, contrapomos duas alternativas de análise propostas na literatura para dar conta dos dados relevantes: parassíntese e circunfixação. Com base em argumentos semânticos e distribucionais, defendemos que a análise parassintética é a mais adequada para o português. Verificamos que essa análise é compatível com a Hipótese da Ramificação Binária, se assumirmos que o papel da morfologia é o de gerar as estruturas morfológicas possíveis de uma língua, atestadas ou não. Nosso exame de produtividade apontou os padrões es-X-ear, des-X-ar, en-X-ecer, en-X-ar, a-X-ar e es-X-ar como produtivos, corroborando resultados presentes na literatura e acrescentando informações novas a descrição do português.
Abstract The goal of this work is to explore the structure of parasynthesis in Portuguese and to assess the productivity of this process in a written corpus. As regards the characterization of the process, we compare parasynthesis proper and circumfixation as two alternative analysis, both argued for in the literature, to account for the relevant data. Based on distributional and semantic arguments, we argue that the parasynthetic analysis is more adequate for Portuguese. We also show that this analysis is compatible with the Binary Branching Hypothesis, given that we assume that the role of morphology is to generate the possible morphological structures of a language, in spite of them being actual words or not. Our assessment of the productivity of parasynthesis shows that the patterns es-Xear, des-X-ar, en-X-ecer, en-X-ar, a-X-ar and es-X-ar are productive. Our results in this respect confirm those that are present in the literature and also provide new facts for the description of Portuguese.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/21634
Arquivos Descrição Formato
000737875.pdf (318.3Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.