Repositório Digital

A- A A+

Nova pipeta para inseminação intra-uterina em suínos

.

Nova pipeta para inseminação intra-uterina em suínos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Nova pipeta para inseminação intra-uterina em suínos
Outro título New pipette for intrauterine insemination in pigs
Autor Diehl, Gustavo Nogueira
Amaral Filha, Wald'ma Sobrinho
Kummer, Rafael
Koller, Felipe Leonardo
Bernardi, Mari Lourdes
Wentz, Ivo
Bortolozzo, Fernando Pandolfo
Resumo O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho reprodutivo de 423 fêmeas suínas de ordem de parto 1 a 9 submetidas à inseminação intra-uterina (IAU), com um novo modelo de pipeta (T1) cuja extremidade não é fixada na cérvix ou uma pipeta de IAU modelo Verona® e que permite a fixação da sua extremidade em espiral na cérvix (T2). Para comparar as duas pipetas, foi considerado o grau de dificuldade para realização das inseminações, o tempo necessário para realizálas, a presença de sangramento após a inseminação, a presença de refluxo no momento da inseminação, as taxas de retorno ao estro (TR), de prenhez (TPR) e de parto ajustada (TPA), além do número de leitões nascidos (NT). As fêmeas de ambos os grupos foram inseminadas com doses de 1 bilhão de espermatozóides, em intervalos de 24 horas. A passagem do cateter de IAU através da cérvix foi possível em 95,9% das fêmeas, sem diferença entre os tratamentos (P>0,05). Em pelo menos uma das inseminações, foi observado sangue no cateter, após a realização da IAU, em 20,6% das fêmeas do T1 e 15,2% das fêmeas do T2 (P=0,14). O tempo médio necessário para realizar a inseminação foi de 2,1 minutos para o T1 e 2,3 minutos para o T2 (P=0,26). O percentual de fêmeas com refluxo de sêmen no momento da inseminação foi maior (P=0,01) no T1 (8,4%) em comparação ao T2 (2,9%). Não houve diferença (P>0,05) nas variáveis TR (8,0 e 4,8%), TPR (93,4 e 96,2%) e NT (12,4 e 12,7 leitões) entre T1 e T2, respectivamente. A TPA do T1 (90,6%) apresentou tendência (P=0,07) de ser inferior à do T2 (95,1%). No T1, as fêmeas primíparas apresentaram maior TR e menor TPA em comparação às pluríparas (P<0,05). Os resultados mostram que a nova pipeta pode ser utilizada sem prejuízos ao desempenho reprodutivo, em fêmeas pluríparas, mas sugerem cautela para sua utilização em fêmeas primíparas.
Abstract The aim of this work was to evaluate the reproductive performance of 423 sows of 1 to 9 farrowings inseminated with two different intrauterine artificial insemination (IAU) pipettes. The first group (T1) was formed by sows inseminated with a new pipette whose extremity was not fixed in the cervix. The second group (T2) was formed by sows inseminated with a Verona® pipette model, with its extremity fixed in the cervix. The degree of difficulty to perform the insemination, the time spent during the insemination, the presence of blood after insemination and of semen backflow during insemination were considered for the comparison of these pipettes. Return to oestrus rate (RO), pregnancy rate (PR), adjusted farrowing rate (AFR) and total litter size (TLS) were also evaluated. All females were inseminated with 1 billion spermatozoa per dose applied at intervals of 24 hours. The catheter of IAU was successfully inserted in 95.9% of females without difference between treatments (P>0.05). The presence of blood, in at least one insemination, was observed in 20.6% of T1 and 15.2% of T2 females (P=0.14). The average time to perform the insemination was 2.1 minutes for T1 and 2.3 minutes for T2 females (P=0.26). The percentage of females with semen backflow was significantly higher (P=0.01) in T1 (8.4%) compared to T2 (2.9%) group. There were no differences (P>0.05) in RO (8.0% and 4.8%), PR (93.4% and 96.2%) and TLS (12.4 and 12.7 piglets) between T1 and T2 groups, respectively. AFR of T1 (90.6%) tended (P=0.07) to be lower than that of T2 (95.1%). Primiparous females of T1 showed higher RO and lower AFR in comparison to pluriparous (P<0.05). The results indicate that the new pipette can be usedin pluriparous females without compromising their reproductive performance. However, caution is necessary for the utilization of this new pipette in primiparous females.
Contido em Ciência rural. Santa Maria, RS. Vol. 36, n. 1 (jan./fev. 2006), p. 179-185
Assunto Inseminacao artificial
Inseminação artificial: pipetas
Inseminação intra-uterina
Reprodução animal
Suíno
[en] Intrauterine insemination
[en] Pipette
[en] Pluriparous females
[en] Primiparous females
[en] Swine
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/22176
Arquivos Descrição Formato
000511084.pdf (47.06Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.