Repositório Digital

A- A A+

Comparação entre diferentes métodos de inseminação artificial em suínos

.

Comparação entre diferentes métodos de inseminação artificial em suínos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Comparação entre diferentes métodos de inseminação artificial em suínos
Outro título Comparison between different methods of artificial insemination in swine
Autor Flores, Luciano A. S.
Wentz, Ivo
Bortolozzo, Fernando Pandolfo
Borchardt Neto, Guilherme
Balestrim, Rogerio Francisco
Gava, Giuliano
Kummer, Rafael
Resumo O objetivo deste trabalho foi avaliar três métodos de inseminação artificial(IA) no suíno em relação ao tempo de infusão e perdas por refluxo da DI durante a IA e aos 120 minutos após a IA, bem como dados de operacionalidade medido pelo grau de dificuldade verificado para execução da IA e dados de desempenho reprodutivo. Foram utilizadas 604 matrizes até a parição 7 e IDE ≤7 dias. As fêmeas foram inseminadas em 3 tratamentos: T1= método auto IA com pipetas longas lameladas (Supertip®), sêmen acondicionado em flexitubos® e aparato de IA constituído por uma cinta abdominal e uma mala dorsal; T2= método intermediário, pipetas Supertip®, flexitubos® e sem aparato de IA; T3= método tradicional, pipetas tipo Melrose, sêmen acondicionado em bisnagas e sem aparato de IA, onde o tempo de IA ficou atrelado ao desempenho do funcionário. O tempo médio de IA foi diferente (P<0,02) entre os três tratamentos (1,7±1,6; 2,2±1,8 e 3,6±1,1 minutos para T1, T2 e T3 respectivamente). Em uma parte dos animais (108 fêmeas distribuídas nos 3 tratamentos) foram coletados os refluxos até 120 minutos transcorridos das IAs por meio de uma bolsa de colostomia fixada na vulva . O volume de refluxo durante a IA foi maior (P<0,02) em T1 (7,7±13,5mL) quando comparado a T3 (5,8±10,8mL). Não foram verificadas diferenças entre os tratamentos no número de espermatozóides eliminados por refluxo até 120 minutos após a IA. Independentemente do tratamento, em torno de 70% do volume e 30% do total de espermatozóides contidos na DI foram eliminados por refluxo em até duas horas após a IA. Na avaliação do grau de dificuldade, foi verificado que, no T1= 85,6%, no T2= 92,9 e no T3= 97,7% das fêmeas tiveram suas inseminações concluídas com até uma intervenção (P<0,05 entre todos os tratamentos). Com relação as taxas de retornos ao estro, taxa de parto ajustada e número de leitões nascidos não foram observadas diferenças entre os tratamentos (P>0,05). As taxas de retorno ao estro foram 10,3, 7,4 e 8,5 %, a taxa de parto ajustada foi de 90,8, 94,0 e 91,7% com 10,9, 11,1 e 11,1 leitões nascidos totais em T1, T2 e T3, respectivamente. O método auto IA e o método intermediário proporcionam IAs mais rápidas e podem substituir o método tradicional sem prejuízos ao desempenho reprodutivo.
Abstract This study was performed to compare the Handsfree insemination method, i.e., the high degree automation procedure, with an intermediate method, which allows less participation of the inseminator during the application of the inseminating dose (ID), and the conventional method, which is widely used in Brazil. The comparison was based on infusion time and losses due to semen backflow during AI and 120 minutes after AI, degree of difficulty experienced during AI procedure, and reproductive performance data. A number of 604 sows on the parity up to 7 and a weaning to estrus interval ≤7 days were used. Females were distributed into 3 treatments: T1= handsfree AI method, with long coilable shaft pipettes (Supertip®), semen stored in flexitubes® and AI device consisting of an abdominal belt and a saddlebag; T2= intermediate method, Supertip® pipettes, flexitubes®, without AI device; T3= traditional method, Melrose-type pipettes, semen stored in tubs, without AI device. AI time was associated with the inseminator’s performance The average AI time was different (P<0.02) among treatments (1.7±1.6; 2.2±1.8 e 3.6±1.1 minutes for T1, T2 and T3 respectively). One hundred eight sows distributed into the three treatments, had the semen backflow collected up to 120 minutes after AI in a colostomy bag fixed by the vulva. Semen backflow volume during AI was higher (P<0.02) in T1 (7.7±13.5 mL) as compared to T3 (5.8±10.8 mL). There were no differences among treatments in the number of spermatozoa eliminated by semen backflow up to 120 minutes after AI. Regardless of the treatment, nearly 70% of the volume and 30% of the total spermatozoa contained in the ID were eliminated by semen backflow up to 2 hours after AI. Concerning the degree of difficulty of the AI procedure, 85.6%, 92.9 and 97.7% of T1, T2 and T3 females were inseminated with up to 1 intervention (P<0,05 between all treatments). There were no differences among treatments (P>0.05) in return to estrus rate, adjusted farrowing rate and number of born piglets. The return to estrus rates were 10.3, 7.4 and 8.5%, adjusted farrowing rates were 90.8, 94.0 and 91.7%, with 10.9, 11.1 e 11.1 total born piglets in T1, T2 and T3, respectively. The Hands free method and the intermediate method allowed faster AI and can replace the traditional method without influence on the reproductive performance.
Contido em Ciência rural. Santa Maria. Vol. 34, n. 4 (jul./ago. 2004), p. 1169-1175
Assunto Inseminacao artificial : Suinos
Inseminacao artificial : Tecnicas
[en] Artificial insemination
[en] Hands-free AI
[en] Insemination time
[en] Semen backflow
[en] Swine
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/22503
Arquivos Descrição Formato
000438722.pdf (50.92Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.