Repositório Digital

A- A A+

Interfaces entre gênero, infância e escola : dialogando com crianças

.

Interfaces entre gênero, infância e escola : dialogando com crianças

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Interfaces entre gênero, infância e escola : dialogando com crianças
Autor Sostisso, Débora Francez
Orientador Soares, Rosângela de Fátima Rodrigues
Data 2009
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Educação, Sexualidade e Relações de Gênero.
Assunto Diferença
Escola
Gênero
Identidade
Infância
Resumo O presente trabalho tem como propósito lançar um olhar sobre as questões de gênero no espaço escolar. Isto se deu a partir da investigação sobre a forma como crianças de 1ª série do Ensino Fundamental (6 e 7 anos) de duas escolas particulares da cidade de Novo Hamburgo experienciam as questões de gênero, bem como, de que forma estas construções atravessam o cotidiano escolar e que discursos e representações se articulam ao que as crianças manifestam. Para tanto, exploro falas e situações que emergiram do referido ambiente escolar, observações das interações entre as crianças e discussão de algumas questões através de estratégias propostas aos grupos que oportunizassem o debate acerca das relações de gênero. Este olhar a que me referi anteriormente foi sendo aguçado e regulado pela aproximação teórica dos Estudos Culturais e de Gênero, numa abordagem pós-estruturalista, articulando conceitos de corpo, gênero, sexualidade, representação, identidade e diferença. Diante destas formulações busco problematizar e discutir os seguintes questionamentos: De que forma as questões de gênero perpassam o cotidiano escolar em momentos de interação? O que as crianças dizem e pensam a respeito de questões de gênero? Que discursos e representações se articulam nestas dinâmicas? Acredito que a importância deste trabalho se dá no sentido da reflexão e discussão teórico-conceitual acerca das construções de significados culturais a respeito de questões que envolvem gênero, nas quais a escola (também) está implicada. A investigação apontou o caráter generificado das práticas sociais articulado aos discursos hegemônicos dominantes que interpelam as crianças e produzem efeitos na constituição de suas identidades de gênero. Contudo, as análises também demonstraram o quanto as feminilidades e masculinidades vão se constituindo de forma discursiva através de dinâmicas caracterizadas pela complexidade, provisoriedade, contraditoriedade e contingência, de forma que atentemos para a possibilidade de problematização e de disputas de significados que o contexto escolar pode propiciar.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/22515
Arquivos Descrição Formato
000738767.pdf (3.421Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.