Repositório Digital

A- A A+

Validação de escalas de sedação em crianças submetidas à ventilação mecânica internadas em uma unidade de terapia intensiva pediátrica terciária

.

Validação de escalas de sedação em crianças submetidas à ventilação mecânica internadas em uma unidade de terapia intensiva pediátrica terciária

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Validação de escalas de sedação em crianças submetidas à ventilação mecânica internadas em uma unidade de terapia intensiva pediátrica terciária
Outro título Validation of sedation scores in mechanically ventilated children admitted to a tertiary pediatric intensive care unit
Autor Amoretti, Carolina Friedrich
Rodrigues, Gleiber de Oliveira
Carvalho, Paulo Roberto Antonacci
Trotta, Eliana de Andrade
Resumo Objetivos: O uso de escalas de sedação é fundamental em unidades de terapia intensiva pediátrica. A escala Comfort-Behavior é validada para avaliação de crianças, contudo, é um instrumento extenso. A escala de avaliação da atividade motora está validada para adultos, é mais simples do que a anterior e possível de ser usada em crianças. Nenhuma dessas escalas está validada na língua portuguesa. O objetivo primário deste estudo foi validar as duas escalas traduzidas para o português em crianças submetidas à ventilação mecânica. Os objetivos secundários foram avaliar o nível de sedação dos pacientes em ventilação mecânica de unidades de terapia intensiva pediátrica terciária e comparar o desempenho das duas escalas nesta população. Métodos: Após a tradução para o português, as escalas foram aplicadas em 26 pacientes por dois médicos, simultaneamente. Obteve-se um total de 116 observações por escala. Resultados: O coeficiente de correlação intraclasse foi 0,90 (IC95% 0,85 – 0,93) para a escala Comfort-Behavior e 0,94 (IC 95% 0,92 – 0,96) para a avaliação da atividade motora. O alfa de Crombach para o observador A ao aplicar a escala Comfort-Behvior foi 0,81 e para o observador B, 0,92. O coeficiente de Spearman para o observador A foi 0,86 e para o observador B, 0,91. As aplicações das escalas revelaram pacientes bastante sedados, atingindo pontuações baixas em ambas. Conclusões: A validação das escalas Comfort-Behavior e avaliação da atividade motora para o português foi realizada com sucesso. Ambas foram adequadas para emprego em crianças em ventilação mecânica. Nas aplicações avaliadas, o nível de sedação observado na unidade estudada foi alto.
Abstract Objectives: Sedation scores are important tools for use in pediatric intensive care units. The Comfort-Behavior scale is a valid method for the assessment of children although it is considered an extensive scale. The motor activity assessment scale is validated for an adult population. We considered it simpler then the one above and suitable for application in children. None of these scores had been translated into Portuguese. Our objective was to apply both scales in Portuguese to a pediatric population under mechanical ventilation. Secondary objectives were to evaluate the sedation level of children on mechanical ventilation in tertiary pediatric intensive care units and to compare the Comfort- Behavior and motor activity assessment scales in this population. Methods: After translating the scales into Portuguese, both were simultaneously applied to 26 patients by 2 pediatricians. Each scale was applied 116 times in total. Results: The intraclass correlation coefficient was 0.90 (0.85 – 0.93 CI 95%) for the Comfort-Behavior and 0.94 (0.92 – 0.96 CI 95%) for the motor activity assessment scale. When applying the Comfort-Behavior scale, the Crombach’s alpha was 0.81 for observer A and 0.92 for observer B. The Spearman coefficient was 0.86 for observer A and 0.91 for observer B. These patients were found to be deeply sedated, showing low values in both scales. Conclusions: The scales were successfully translated into Portuguese and both were adequate to assess pain and sedation in the pediatric population under mechanical ventilation. Sedation level was high in this sample of applications.
Contido em Revista brasileira de terapia intensiva. Rio de Janeiro. Vol. 20, n. 4, (out./dez. 2008), p. 325-330
Assunto Comportamento infantil
Criança
Medição da dor
Monitorização fisiológica
Respiração artificial
Unidades de terapia intensiva
Unidades de terapia intensiva pediátrica
[en] Analgesics
[en] Child
[en] Child behavior
[en] Intensive care units pediatric
[en] Methods
[en] Monitoring physiologic
[en] Pain measurement
[en] Respiration artificial
[en] Standards
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/22972
Arquivos Descrição Formato
000716350.pdf (90.95Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.