Repositório Digital

A- A A+

Tornar-se pai e mãe no contexto da reprodução assistida

.

Tornar-se pai e mãe no contexto da reprodução assistida

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Tornar-se pai e mãe no contexto da reprodução assistida
Autor Dornelles, Lia Mara Netto
Orientador Lopes, Rita de Cassia Sobreira
Data 2009
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Curso de Pós-Graduação em Psicologia.
Assunto Gravidez : Psicologia
Infertilidade
Maternidade
Paternidade
Reprodução assistida
[en] Assisted reproduction
[en] Infertility
[en] Parenthood
Resumo O tornar-se pai e mãe e constituir uma família são fenômenos importantes para o estabelecimento de uma identidade social adulta, contribuindo para a realização pessoal do indivíduo. Quando esse projeto parental não pode ser realizado em decorrência de infertilidade no casal, é possível recorrer às técnicas de reprodução assistida, como uma tentativa de concretização desse projeto. Entretanto, o desgaste físico e emocional decorrente desses procedimentos pode conferir à gestação e à parentalidade um caráter específico, com repercussões ainda pouco conhecidas. Por meio deste estudo longitudinal, com três casais que engravidaram por técnicas de reprodução assistida, buscou-se conhecer o processo de tornar-se pai e mãe no contexto da reprodução assistida, com medidas coletadas no terceiro trimestre de gestação e aos três meses do bebê. Os resultados apontaram que a vivência da gestação nesse contexto caracteriza-se pelo constante medo de perder o bebê, mesmo no último trimestre gestacional, sendo que as gestantes deste estudo apresentaram sentimentos de incapacidade de levar a gestação a termo. A prematuridade tornou real a possibilidade de perda do bebê, tornando a vivência dessa etapa um desafio. Superado esse período, o medo da perda do bebê diminuiu, dando espaço para o estabelecimento da crença de que esses casais são capazes de garantir a sobrevivência de seus bebês.
Abstract Becoming a father or a mother and building a family are important phenomena that contribute for the establishment of an adult identity as well as for a personal accomplishment. When the dream of building a family can not be fulfilled couples may be helped by assisted reproduction techniques, although the physical and psychological stress produced by these techniques is not well-known yet. This longitudinal and qualitative research aims at knowing how transition to parenthood occurs in the context of assisted reproduction techniques. Three couples who got pregnant through assisted reproduction techniques were interviewed in two moments: during the last trimester of pregnancy and when the baby is three months old. The results show that the participants of this research lived pregnancy freightened by the possibility of loosing their baby. When the baby was born these feelings turned into a possibility due to they were pre-term babies. Afterwards, these feelings decreased while the belief of being capable of keeping the baby alive emerged.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/23022
Arquivos Descrição Formato
000741687.pdf (371.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.