Repositório Digital

A- A A+

Manipulação neonatal, ocitocina, vasopressina e comportamentos sociais em ratos

.

Manipulação neonatal, ocitocina, vasopressina e comportamentos sociais em ratos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Manipulação neonatal, ocitocina, vasopressina e comportamentos sociais em ratos
Autor Todeschin, Anelise Schindler
Orientador Lucion, Aldo Bolten
Data 2010
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Fisiologia.
Assunto Comportamento social
Manipulação neonatal
Memória
Ocitocina
Resumo Eventos que acontecem aos filhotes, tais como intervenções no ambiente ou alterações no comportamento maternal, durante o período neonatal induzem a alterações neuroendócrinas e comportamentais estáveis, percebidas já na infância e perduram na vida adulta do animal. O modelo de manipulação dos filhotes no período neonatal tem sido estudado com o objetivo de tentar compreender as alterações no ambiente perinatal e suas manifestações, visto que muitas patologias psicológicas podem ser desencadeadas neste período e se manifestar na vida adulta. A principal conseqüência da manipulação neonatal é uma redução da ansiedade a ambientes novos em ratos adultos. Logo após o nascimento, o sistema nervoso central (SNC) ainda está em formação e intervenções ocorridas no período neonatal afetam alguns sistemas neurais. Este trabalho teve como objetivo estudar o efeito da manipulação durante os primeiros dias de vida, em filhotes de rato e suas conseqüências em comportamentos sociais e em sistemas neurais relacionados à ocitocina e vasopressina. A ocitocina, um hormônio neuro-hipofisário cujo papel na reprodução é bem conhecido foi estudado neste trabalho porque tem funções importantes no SNC, principalmente em modular comportamentos, como sexual, social, afetivos e memória social. A vasopressina, conhecida por sua função na manutenção da osmolalidade, também é reconhecida por modular agressividade, o eixo hipotálamo-hipófise-supra-renal, comportamentos sexuais, memória e tem sido estudada em transtornos depressivos. Este estudo comparou vários parâmetros relacionados à produção e à liberação de ocitocina e vasopressina entre ratos manipulados e não-manipulados no período neonatal. Os resultados apresentados neste trabalho mostram uma reduzida interação social em ratos adultos. Ainda pôde-se observar aumento da agressividade nestes animais. Esse efeito comportamental aparentemente é dependente do sexo, pois somente foi detectado em machos. Também foi relatado um menor número de neurônios ocitocinérgicos e um aumento no número dos vasopressinérgicos no hipotálamo de ratos adultos, machos e fêmeas, que sofreram manipulação. Não foi demonstrada diferenças na liberação destes hormônios na resposta ao estresse, nem na expressão total de ocitocina e de vasopressina no núcleo paraventricular de ratos adultos. Entretanto, em filhotes machos e fêmeas, aos 10 dias de idade, pôde-se observar que a manipulação aumenta a secreção plasmática de ocitocina. Conclui-se assim, que, a manipulação no período neonatal interfere negativamente no estabelecimento de relações sociais na vida adulta, podendo ter como causa uma possível alteração nos sistemas ocitocinérgico e vasopressinérgico central nestes.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/23755
Arquivos Descrição Formato
000743639.pdf (3.125Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.