Repositório Digital

A- A A+

Mobilizando coletivos e construindo competências culturais no cuidado à saude : estudo antropológico da política brasileira de atenção primária à saúde

.

Mobilizando coletivos e construindo competências culturais no cuidado à saude : estudo antropológico da política brasileira de atenção primária à saúde

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Mobilizando coletivos e construindo competências culturais no cuidado à saude : estudo antropológico da política brasileira de atenção primária à saúde
Outro título Mobilizing collectives and building cultural competences in health care: anthropological study of the Brazilian primary health care policy
Autor Targa, Leonardo Vieira
Orientador Leal, Ondina Maria Fachel
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.
Assunto Agentes comunitários de saúde
Antropologia da saúde
Antropologia social
Atenção primária à saúde
Política de saúde
Políticas públicas
Saúde da família
[en] Cultural competence
[en] Family health
[en] Health anthropology
[en] Primary health care
[en] Public policies
Resumo Este trabalho estuda a política nacional de Atenção Primária à Saúde (APS) a partir da proposta de realizar uma outra antropologia das políticas públicas, que se aproxime do princípio de simetria. Inicialmente, alguns aspectos da APS e de como esta é constituída como modelo científico para os sistemas de saúde mundiais são revisados, bem como sua configuração atual no Sistema Único de Saúde, através da Estratégia Saúde da Família (ESF) e do Programa de Agentes Comunitários. Analisa-se também a forma como conceitos de família e de comunidade estão presentes nestas políticas. A partir do estudo das redes de atuantes, no sentido de Latour, sugere-se que as diferenças criadas entre a ESF e outros modelos, que dividem o cuidado da saúde em terapias especializadas clínicas e cirúrgicas de um lado e o planejamento epidemiológico-sanitarista de outro, podem ser entendidos como uma postura diferente em relação ao acordo modernista. Para isso utilizam-se três aspectos principais observados em campo: a) a prática de cuidado mais individualizado de saúde, ou clínica; b) o trabalho com territórios e as identidades relacionadas com o processo de territorialização; c) a prática da atenção domiciliar. Ao mapear estas redes híbridas mobilizadas pelas equipes de saúde da família, e especialmente, através do estudo da postura do médico de família e comunidade nestas, demonstra-se como outras naturezas e sociedades são produzidos e reificados de forma a esclarecer diferenças que se evidenciam em comparação aos modelos biomédicos e sanitaristas. Mais do que uma abordagem que inclua aspectos sociais do processo saúde-doença ou simplesmente uma prática diferenciada, mais humanizada, da biomedicina, sugere-se que a proposta da APS tem realizado uma alteração mais profunda no cuidado à saúde através da mobilização de atuantes em coletivos diversos, abrindo espaço para outras formas de entender o que é saúde e doença, a partir de uma postura diferenciada perante a natureza e a cultura, o que ainda não parece ser um processo totalmente claro. Por fim, aprofunda-se o estudo da noção de competência cultural que é, dependendo da forma como entendemos os dois termos desta expressão, no mínimo discutível e necessita ser repensada assim como sua valoração secundária perante as outras características da APS. Este trabalho pretende contribuir para uma multiplicidade maior de formas de se pensar o cuidado à saúde em meio à diversidade, que possa ser utilizado tanto pelos profissionais da saúde quanto por antropólogos, aproximando estas áreas.
Abstract This work studies the brazilian primary health care policy (PHC) in the perspective of a certain way of an anthropology of policies going in the direction of Latourian’s concept of symmetry. First, some aspects of PHC and how it is constituted as a scientific model for worldwide health systems are revised. Its current configuration in brazilian health system as the Family Health Strategy (FHS) are also studied with particular attention to how concepts like family and community appear. I suggest that the differences between the models like FHS and the frequently di-cotomized model of biomedicine x collective health can be seen as a different position in relation to de modern constitution. To get to this conclusion I analyze the actants networks in three situations in the practice of a FH team: a) individual clinical care; b) the work with health territories; and, c) the home care. Doing so I try to demonstrate how other natures and societies are produced and reified, in a way of making clearer the differences between this model of health care and the others mentioned above. More than an approach that include a singular view of social aspects in the health-sick process care or more simply a more humanized practice, I suggest that the FHS are performing a much more complex alteration in health care by the mobilization of actants in many types of collectives, opening space for different ways of thinking health and sickness that derives from a specific posture before nature and culture, what is not actually totally clear. For last the auto-attributed notion of cultural competence are revised and questioned as the apparently lesser importance near other PHC caracteristcs. This work wants to contribute to higher multiplicity of ways of thinking the health care and its importance in presence of the human variety to be useful for health care professionals and anthropologists, approximating them.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/24041
Arquivos Descrição Formato
000743096.pdf (2.783Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.