Repositório Digital

A- A A+

Estacas hélice contínua: monitoramento em obra

.

Estacas hélice contínua: monitoramento em obra

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Estacas hélice contínua: monitoramento em obra
Autor Stracke, Fernanda
Orientador Consoli, Nilo Cesar
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia Civil.
Assunto Engenharia civil
Resumo O presente trabalho aborda o controle executivo de fundações profundas, especificamente o monitoramento de estacas hélice contínua. Dessa forma, o objetivo principal é a apresentação da forma de interpretação dos dados de monitoramento de estacas hélice contínua, a partir de um caso de obra localizado em Porto Alegre. O trabalho tem como premissa que a análise dos dados de monitoramento das estacas hélice contínua é fundamental para que estes dados orientem o controle executivo deste tipo de fundação. O trabalho é relevante frente à expansão do método executivo e à importância do controle executivo de fundações. Foram analisados os dados de profundidade das estacas, torque do equipamento, velocidade do trado, pressão e sobreconsumo de concreto. Inicialmente, foram analisadas as condicionantes de projeto da obra estudada. A seguir, foram analisados perfis longitudinais gerados a partir das sondagens SPT da obra, e comparados com as profundidades das estacas previstas em projeto. Na análise da profundidade alcançada das estacas, verificou-se que 65% das estacas alcançaram a profundidade mínima de projeto. As estacas alcançaram NSPT entre 41 e 60 golpes. Para as estacas com profundidades abaixo do mínimo de projeto verificou-se que, para uma redução média de 10% na profundidade das estacas, houve uma redução média de 15% do fator de segurança global destas estacas. Na análise do torque do equipamento, encontrou-se uma relação direta entre torque e resistência do solo. Quanto à velocidade de descida e de subida do trado, não foram observadas significativas variações de velocidade ao longo da profundidade das estacas. Não foi encontrada relação entre a velocidade de subida do trado e o sobreconsumo de concreto. Na análise da pressão de concreto, verificou-se que, para 78% dos pontos de NSPT analisados, a pressão de concreto foi nula. Comparando a velocidade de subida do trado, a qual se mantém constante ao longo do fuste das estacas, com a pressão de concreto nula na maior parte dos pontos de NSPT, verificou-se que não houve controle da pressão de concreto durante a subida do trado. A análise dos dados de monitoramento se mostrou eficiente no controle executivo de estacas hélice contínua monitoradas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/24109
Arquivos Descrição Formato
000741761.pdf (61.66Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.