Repositório Digital

A- A A+

Influência do aleitamento materno na colonização muco-cutânea pelo staphylococcus aureus na criança com dermatite atópica

.

Influência do aleitamento materno na colonização muco-cutânea pelo staphylococcus aureus na criança com dermatite atópica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Influência do aleitamento materno na colonização muco-cutânea pelo staphylococcus aureus na criança com dermatite atópica
Autor Chemello, Raíssa Massaia Londero
Orientador Giugliani, Elsa Regina Justo
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Aleitamento materno
Dermatite atópica
Epidemiologia
Staphylococcus aureus
Transmissão vertical de doença infecciosa
Resumo Introdução: A dermatite atópica (DA) é uma das afecções cutâneas mais freqüentes da infância. Não há consenso sobre o efeito do aleitamento materno no desenvolvimento e evolução da DA. Para que isto ocorra, é necessário aprofundar os conhecimentos sobre os fatores que podem estar envolvidos nessa relação, como, por exemplo, a influência do aleitamento materno na colonização do paciente atópico pelo Staphylococcus aureus (S. aureus). Objetivo: Avaliar uma potencial associação entre aleitamento materno e colonização pelo S. aureus em crianças com DA. Pacientes e Método: Estudo transversal envolvendo 79 crianças de 4 a 24 meses, de ambos os sexos, com DA, em acompanhamento no Ambulatório de Dermatologia Sanitária de Porto Alegre/RS, e 72 mães. Foram registrados dados clínico-epidemiológicos e de alimentação da criança. Pesquisou-se a presença do S. aureus em swab nasal e cutâneo nas crianças e swab nasal das respectivas mães. Para a análise dos dados foram realizados os testes Qui-quadrado de Pearson e Exato de Fischer. Resultados: Entre as crianças que estavam em aleitamento materno, S. aureus foi encontrado na cavidade nasal de 8 (25,8%) e na pele (fossas cubitais) de 4 (12,9%). Entre aquelas que não estavam sendo amamentadas, S. aureus foi encontrado na cavidade nasal de 10 (20,8%) e na pele de 11 (22,9%). Entre as mães, 16 (22,2%) apresentaram crescimento de S. aureus no material proveniente do swab nasal. Não se observou associação significativa entre aleitamento materno e colonização pelo S. aureus da cavidade nasal ou pele da criança. Entretanto, houve concordância entre a colonização pelo S. aureus na cavidade nasal das mães e na cavidade nasal e/ou pele dos filhos. Das 72 duplas, houve concordância em 56 (77,8%). Conclusão: O aleitamento materno não parece ter influência na colonização muco-cutânea pelo S. aureus em crianças com dermatite atópica.
Abstract Introduction: Atopic dermatitis (AD) is the most common chronic skin disease in infancy. Studies on the effects of breastfeeding on the development of AD have shown controversial results. The importance of this condition as potentially harmful deserves further studies; in particular, it remains unclear whether colonization of atopic patients by Staphylococcus aureus (S. aureus) through breastfeeding is relevant to the development of AD. Objective: To examine the potential relation between breastfeeding and colonization by S. aureus in atopic patients. Method: Transversal study of atopic patients, aged from 4 to 24 months, both genders, receiving outpatient care and 72 mothers. Data on infant breastfeeding practices and on clinical-epidemiological profile were registered. Swabs of the infants’ nares and skin (cubital fossa) and swabs of the mothers’ nares were collected. For univariate analysis, X2 (chi-square) and Fischer Exact’s test were used. Results: Among breastfed children, S. aureus was isolated from 8 (25.8%) infants’ nares swabs and from 4 (12.9%) skin swabs. Among not breastfed children, S. aureus was isolated from 10 (20.8%) infants’ nares swabs and from 11 (22.9%) skin swabs. Sixteen mothers (22.2%) had S. aureus isolated from their nares swabs. There was no significant association between breastfeeding and S. aureus colonization (child skin and/or nares). However, there was a degree of concordance for S. aureus carriage among mothers and infants. Among 72 pairs, 56 (77.8%) were concordant. Conclusion: Breastfeeding was not associated with S. aureus muco-cutaneous colonization in atopic infants.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/24262
Arquivos Descrição Formato
000744488.pdf (448.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.