Repositório Digital

A- A A+

Avaliação econômica da implantação da unidade de ambiente protetor destinada a pacientes submetidos a transplante de medula óssea

.

Avaliação econômica da implantação da unidade de ambiente protetor destinada a pacientes submetidos a transplante de medula óssea

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação econômica da implantação da unidade de ambiente protetor destinada a pacientes submetidos a transplante de medula óssea
Autor Coutinho, Ana Paula
Orientador Kuchenbecker, Ricardo de Souza
Co-orientador Moreira, Leila Beltrami
Data 2009
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Assunto Análise custo-benefício
Cuidados pós-operatórios
Custos hospitalares
Transplante de medula óssea
Unidades hospitalares
[en] Bone marrow transplantation
[en] Costs
[en] Protected environment ward
Resumo Introdução: Avaliar o impacto das intervenções em saúde passa a ser obrigação, principalmente, daqueles que são responsáveis pelas decisões em saúde. Entre estes, estão os profissionais que prescrevem e determinam tratamentos, atuando como fontes geradoras de despesa, bem como os gestores, que devem garantir a melhor aplicação de recursos e ampliação do atendimento à população. A escassez de recursos tem levado os sistemas de saúde do mundo inteiro a incorporar metodologias de avaliação econômica para a tomada de decisão. Entre as demandas crescentes da população está a necessidade de transplantes, entre os quais o transplante de medula óssea (TMO). Um procedimento de alto custo, pela grande utilização de recursos no tratamento, tempo elevado de internação, além do investimento em prevenção de desfechos aos quais estes pacientes ficam sujeitos: infecções, rejeição ao enxerto e mortalidade. Objetivos: Este estudo tem como propósito avaliar a relação de custobenefício da criação de uma unidade de ambiente protegido (UAP) destinada a pacientes hematológicos submetidos a TMO em um hospital universitário brasileiro. Identificar os custos da criação e manutenção da UAP, estimar os custos associados à realização de transplantes de medula óssea em pacientes portadores de doenças hematológicas bem como os benefícios da implantação desta unidade em relação à freqüência de ocorrência de agravos de morbidade e mortalidade. Delineamento: Quase-experimento. Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo, onde a população é formada por coorte de pacientes adultos que realizaram TMO entre 5 de janeiro de 2004 e 7 de maio de 2007 – denominado Período 1 (P1) – e 4 de junho de 2007 e 18 de março de 2008 – denominado Período 2 (P2). Para a identificação do custo do paciente foram analisados todos os recursos utilizados por este a partir de sua primeira internação para a realização do transplante e as posteriores, num período de até seis meses de acompanhamento, considerando: custo da unidade de internação; nutrição; recursos de Serviços de Apoio ao Diagnóstico e Tratamento (SADT); custo em nota de sala; custos de procedimentos realizados; hemoterapia; oxigenoterapia; medicamentos utilizados; nutrição parenteral; radioterapia e quimioterapia. Para efeitos de comparação todos os custos foram ajustados para jan/08. Para medir o impacto assistencial, foram pesquisados desfechos como ocorrência de infecções e doença do enxerto contra o hospedeiro (DECH). Resultados: Foram analisadas 166 pacientes e 233 internações no período pré-intervenção enquanto no período posterior foram analisados 45 pacientes e 58 internações hospitalares. O custo mediano por paciente foi de R$ 43.087,81 em P1 e R$ 37.303,87 em P2 (p= 0,466), esse mesmo custo quando estratificado por tipo de transplante resultou em redução de R$ 122.944,69 para R$ 100.555,48 em casos alogênicos (p=0,011) e mantevese igual em casos autólogos, sendo R$ 28.453,05 em P1 e R$ 28.305,24 em P2 (p=0,237). O índice de proteção da UAP sobre a variável infecção hospitalar, demonstrado através da razão de densidade de incidências foi de 0,83 (IC de 95% 0,56 a 1,23) e a taxa de infecção foi reduzida de 2,08% para 1,75%, sendo observada uma redução de 0,17 na incidência da mesma. A mortalidade na internação de realização do transplante foi reduzida de 0,16 em P1 para 0,11 em P2 e o índice de reinternação, de 0,40 para 0,28, respectivamente. Conclusão: A intervenção realizada no tratamento de pacientes submetidos a TMO, internação em UAP, demonstrou uma redução de 13% no custo mediano dos pacientes. O resultado por tipo de TMO demonstrou-se fortemente custo-benéfico nos casos alogênicos, aqueles considerados de maior complexidade e custo. Os dados de infecção, mortalidade e reinternação sugerem uma intervenção eficaz quando analisada sob a perspectiva dos desfechos assistenciais. Do ponto de vista econômico, também foi observado resultado favorável à intervenção em estudo, ainda que o mesmo também não tenha apresentado força estatística.
Abstract Objective: To evaluate the cost-benefit of creating a protected environment (PE) ward for hematological patients undergoing bone marrow transplantation (BMT) at Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), public school hospital with 740 beds, located in Southern Brazil. Methods: A retrospective study, quasi-experimental design, with a population made up of cohort of adult patients who underwent BMT from Jan/2004 to May/2007 (P1) and Jun/2007 to Mar/2008 (P 2). Cost information was obtained by identifying the resources used by patients from the query of the computerized system of HCPA. To measure the impact of care, outcomes, such as occurrence of infections and mortality were investigated. Results: We analyzed 166 patients and 233 admissions in the preintervention while in the later period 45 patients and 58 hospitalizations were investigated. The median cost per patient was R$ 43.087,81 in P1 and R$ 37.303,87 in P2 (p = 0.466). This same cost when stratified by type of transplant resulted in a reduction from R$ 122.944,69 to R$ 100.555,48 in allogeneic cases (p = 0.011) and remained the same in autologous cases, of which R $ 28,453.05 in P1 and R $ 28,305.24 in P2 (p = 0.237). The index of protection of the PE on the variable infection, shown through the ratio of incidence density was 0.83 (CI 95% 0.56 to 1.23) and the rate of infection was reduced from 2.08% to 1.75%, and a reduction of 0.17 in its incidence was seen. The level of mortality on hospital stay during the transplantation was reduced from 0.16 in P1 to 0.11 in P2 and the rate of rehospitalization, 0.40 to 0.28, respectively. Conclusion: The intervention performed in the treatment of patients undergoing bone marrow transplantation, hospitalization in PE ward, showed a 13% reduction in the average cost of patients, although this difference was not considered statistically significant. The result by type of BMT showed strongly cost-beneficial in allogeneic cases, those considered of greater complexity and cost. The data of infection, mortality and reinteração suggest an effective intervention when viewed from the perspective of welfare outcomes. From the economic point of view, it was also observed a favorable outcome to the intervention under study, although it has not presented statistical power.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/24264
Arquivos Descrição Formato
000744494.pdf (989.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.