Repositório Digital

A- A A+

Modulação dietética das paraoxonases : revisão de estudos em humanos

.

Modulação dietética das paraoxonases : revisão de estudos em humanos

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Modulação dietética das paraoxonases : revisão de estudos em humanos
Autor Correia, Jaqueline Driemeyer
Orientador Perry, Ingrid Dalira Schweigert
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Nutrição.
Assunto Dieta
Doenças cardiovasculares
Estresse oxidativo
Resumo As doenças cardiovasculares são responsáveis por mais de 1/3 das mortes no Brasil. As lesões vasculares, que acompanham essas doenças, são associadas intrinsecamente ao processo inflamatório endotelial. Recentes trabalhos têm mostrado que a paraoxonase (PON), devido a sua ligação ao perfil lipídico e seu efeito protetor através do potencial antioxidante do HDL, estaria diretamente ligada à redução de fatores de disfunção endotelial protegendo contra a oxidação de lipoproteínas de baixa densidade (LDL). Alterações na atividade da PON têm sido relatadas conforme modificações alimentares. Tal relato levanta a hipótese de uma possível modulação dietética dessa enzima. Assim, se propôs esta revisão estruturada da literatura buscando elucidar os mecanismos pelos quais a dieta poderia modular a PON, com finalidade de ampliar conhecimentos dirigidos ao tratamento e prevenção das doenças cardiovasculares por meio de terapêutica dietética. A revisão foi realizada utilizando os bancos de dados Medline e Lilacs abrangendo artigos publicados até maio de 2009. Foram encontrados 123 artigos e selecionados 28 estudos que relacionam a PON à dieta. Assim, embasado em todos os estudos descritos, acredita-se que a atividade da paraoxonase é modificada através de fatores dietéticos, especialmente o consumo de ácidos graxos, sendo os poliinsaturados e os monoinsaturados os maiores responsáveis pelo aumento da atividade enzimática. Porém, os mecanismos pelos quais ocorre essa modulação, a quantidade diária de consumo para surtir um efeito preventivo da aterosclerose e os motivos pelos quais alguns estudos não encontram tal efeito ainda são desconhecidos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/24272
Arquivos Descrição Formato
000744541.pdf (736.1Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.