Repositório Digital

A- A A+

Vida e obra em imagem-tempo

.

Vida e obra em imagem-tempo

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Vida e obra em imagem-tempo
Autor Thomazoni, Andresa Ribeiro
Orientador Fonseca, Tania Mara Galli
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Arte-terapia
Criação artística
Hospital Psiquiátrico São Pedro de Porto Alegre.
Imagem : Psicologia
Loucura
Pacientes internados
Psicologia e arte
[en] Cartography
[en] Diagram
[en] Image-time
[en] Life and work
Resumo Em nossa pesquisa cartográfica nos propomos a lançar um olhar para as forças que são capazes de atravessar um corpo, o corpo de Luiz Guides, uma tentativa precária de captar o rumor expressivo de uma vida. Não queremos aqui falar de uma história pessoal, de um sujeito psicológico, de um ego ou uma identidade, mas visibilizar a potência do tempo, de sua cisão, de outras temporalizações possíveis. A partir do conceito de imagem-tempo, cartografamos vida e obra, lançamo-nos à vertigem em que os planos coexistem e não se sucedem. Das variações expressivas desse corpo, cintilam acontecimentos que sobrevoam os encontros experienciados. A Oficina de Criatividade, tal qual um dispositivo maquínico, possibilitou a sustentação para a poiesis de si e de mundos. Sua pintura, capaz de ultrapassar o caos-catástrofe eclode em planos expressivos que germinam, o diagrama nasce apontando-nos os agenciamentos que ali operam. A pintura como um território existencial possível em meio à adversidade do Hospital Psiquiátrico. No paradoxo em que o corpo torna-se passagem para forças, quanto mais se exalta o impessoal mais se afirma a produção de uma singularidade. Pintura-dobra que nos faz ver a potência de um corpo, nos faz pensar nos outros corpos que também habitam o manicômio silenciados pelo discurso da razão. Vida e obra em imagem-tempo, que nos lançam a vertigem de um intempestivo, que nos visibiliza a resistência e criação.
Abstract In our cartographic research we propose to take a look at the forces capable of crossing a body, the body of Luiz Guides, a precarious attempt to capture the expressive rumor of a life. We do not aim to address a personal history, a psychological subject, ego or identity, but to make the power of time visible, its division, and other possible times. Starting from the concept of image-time, the cartography of his life and work is accomplished, we throw ourselves into a vertigo where the planes coexist and do not succeed themselves. Events surrounding the experienced encounters sparkle from the expressive variations of this body. “Oficina de Criatividade”, such that a machinic device, enabled the support for the poiesis of himself and of worlds. His paintings, able to cross the chaos-catastrophe, breaks out in blooming expressive planes, the diagram is born pointing out the agents operating there. Paintings as a possible existential territory, in the midst of the adversities in a Psychiatric Hospital. In a paradox on which the body becomes a passage for forces, the more the impersonal is exalted, the more the production of a singularity is strengthened. Painting-fold which shows us the power of a body, make us wonder about other ones also residing in an asylum, silenced by the discourse of reason. Life and work in image-time, which throw us the vertigo of an unexpected, which shows us resistance and creation.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/24636
Arquivos Descrição Formato
000745223.pdf (4.250Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.