Repositório Digital

A- A A+

Opinião dos idosos mais velhos do meio rural sobre qualidade de vida

.

Opinião dos idosos mais velhos do meio rural sobre qualidade de vida

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Opinião dos idosos mais velhos do meio rural sobre qualidade de vida
Autor Costa, Francine Melo da
Orientador Morais, Eliane Pinheiro de
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Idoso de 80 anos ou mais
População rural
Qualidade de vida : Idoso
Resumo Esta pesquisa foi realizada com base em uma investigação sobre as condições de vida, saúde e apoio dos idosos mais velhos de Encruzilhada do Sul (RS). Os objetivos foram conhecer e analisar a opinião dos idosos mais velhos que vivem na área rural deste município sobre qualidade de vida (QV), bem como caracterizar as condições socioeconômicas, demográficas e de saúde, e relacioná-las com as opiniões sobre QV. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de abordagem quali-quantitativa. Foram utilizados os dados do banco do estudo de base, onde os idosos preencheram um instrumento multidimensional, e responderam a uma pergunta aberta: “o que significa QV para você?”. Foram utilizados para análise dos dados os softwares QSR NVivo 2.0 e SPSS 17.0. Este estudo foi aprovado pela Comissão de Pesquisa da Escola de Enfermagem da UFRGS. Os resultados mostraram que a maioria dos idosos opinou que QV era ter saúde. Em seguida, as categorias mais representativas foram: bem-estar, sentimentos positivos e ter dinheiro. Dos 95 idosos participantes, a maioria eram mulheres (63,2%), a faixa etária predominante foi de 80-84 anos, quanto ao estado civil predominaram os viúvos (60%), sendo que houve associação significativa entre os idosos casados que opinaram sentimentos positivos como QV (p=0,008), confirmando esta associação, também houve significância (p=0,002), entre os idosos que moravam com o cônjuge e esta mesma opinião. Predominou a auto-avaliação de saúde regular, mas dentre aqueles que se avaliaram com ótima saúde houve associação (p=0,049) com a opinião ter dinheiro. Os problemas de saúde mais prevalentes foram os cardiovasculares e os músculo - esqueléticos, e os idosos que não referiram estes problemas se associaram significativamente (p=0,038) com a opinião bem-estar. A maioria dos idosos não referiu dificuldade nas atividades diárias (85,3%), entretanto aqueles que referiram se associaram (p=0,046) com a opinião sentimentos positivos. Este estudo contribui para dar maior visibilidade a uma parcela da população que possui muitas particularidades, pois constituem um grupo naturalmente fragilizado pela idade avançada e pelo meio que vivem. A obtenção de dados de caracterização da qualidade de vida destes idosos, do ponto de vista dos próprios, é fundamental para elaborar políticas que atendam suas singularidades.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/24708
Arquivos Descrição Formato
000749003.pdf (789.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.