Repositório Digital

A- A A+

Influência da quantidade de argila e da temperatura de sinterização na resistência à cominuição por atrito de grânulos a base de diatomita obtidos por extrusão

.

Influência da quantidade de argila e da temperatura de sinterização na resistência à cominuição por atrito de grânulos a base de diatomita obtidos por extrusão

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Influência da quantidade de argila e da temperatura de sinterização na resistência à cominuição por atrito de grânulos a base de diatomita obtidos por extrusão
Autor Mezzomo, Matheus Remus
Orientador Bergmann, Carlos Perez
Data 2009
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia de Materiais.
Assunto Engenharia de materiais
Resumo Este trabalho estuda materiais cerâmicos a base de diatomita processados por extrusão, com diferentes quantidades de argila em sua formulação e sinterizados a diferentes temperaturas. O interesse para estudar a diatomita surgiu devido a uma possível aplicação industrial, onde é necessária uma boa resistência à cominuição por atrito, de modo que o material fique mais tempo em um sistema de elevada fluidodinâmica, sem redução crítica na sua granulometria. Para essa aplicação industrial, o material deve estar no formato de pequenos grânulos, com raio aproximado entre 180 e 500 mm. Desta maneira, a produção desses grânulos por extrusão foi investigada. A resistência à cominuição por atrito dos grânulos extrudados à base de diatomita foi determinada por metodologia baseada em uma norma ASTM. Também foram feitos testes para a caracterização do material, mas ao invés de grânulos, foram produzidos cilindros, que tinham a conveniência de formato e tamanho para os diferentes procedimentos realizados. Entre eles, retração dimensional e perda de massa, picnometria de hélio, porosimetria de mercúrio, resistência a compressão e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Por fim, a análise dos resultados dos testes de resistência à cominuição por atrito e da caracterização do material, objetivou estabelecer possíveis relações entre suas características microestruturais e as propriedades de interesse tecnológico. Foi constatado que o material apresenta sua maior resistência à cominuição por atrito quando sinterizado na mais alta temperatura testada (1300°C) e com o maior teor de argila utilizado nas formulações (28%). O material produzido sob estas condições apresentou também a mais baixa porosidade, e conseqüente maior densidade aparente. Resta, no entanto, checar os grânulos quando em condições de trabalho, para verificar se o material tem as propriedades necessárias para tal fim. Se acredita que o material ainda não as possui, e, por isso, trabalhos futuros que dêem continuidade ao que já foi feito deverão provavelmente ser realizados.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/24747
Arquivos Descrição Formato
000747668.pdf (3.731Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.